Vale a pena se endividar para continuar comprando?

Cerca de 46% dos inadimplentes no Brasil não têm condições de pagar dívidas nos próximos três meses, de acordo com pesquisa realizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC)

Ter dívidas pode ser um tormento na vida de qualquer um. Isso independe da renda, basta que uma pessoa gaste mais do que ganhe, com renda de classe A ou C, para que vire uma bola de neve. Para se ter uma ideia, 46% dos inadimplentes não têm condições de pagar dívidas, de acordo com pesquisa realizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC).

No entanto, é preciso lembrar, antes de tudo, que nem sempre dívidas são um problema. Quando se compra algum produto no crediário ou prestação você está contraindo uma dívida. Se essa compra é bem pensada e está de acordo com a sua realidade financeira, não será um problema, ainda que não seja um bem de primeira necessidade.

O que leva muitas pessoas a se endividarem e entrarem em descontrole financeiro, são as compras por impulso e o consumismo exacerbado. Mas como saber se é possível comprar um bem sem que tudo se descontrole e o rotativo do cartão de crédito te enlouqueça. Fazer uma gestão rígida do orçamento é um bom começo, e fazer compras de modo consciente. Há bens que valem a pena contrair uma dívida para adquirir, outros não. 

Como ser mais feliz e organizado em 2017

O que vale a pena fazer dívida para comprar?

Celular

Bem, você precisa mesmo contrair uma dívida para comprar um celular? Se a primeira resposta for sim, a segunda pergunta a se fazer é: Qual celular eu POSSO comprar? Se no seu orçamento cabe somente um smartphone de preço médio, não vá cair na tentação de comprar um Iphone da última geração, não é mesmo?!

Prestações

Uma boa maneira de saber se deve comprar um smartphone é olhar o valor TOTAL do produto. Se uma loja te oferece uma facilidade de 30 meses de prestação, faça as contas se não está pagando um preço muito acima do que pagaria à vista. Às vezes, é melhor pagar um celular mais modesto do que se endividar até o limite do seu bolso.

Carro

Aqui, a situação é um pouco diferente. No entanto, é bom de novo se fazer aquela pergunta básica: eu preciso mesmo de um carro a ponto de me endividar? Às vezes é bom fazer os cálculo, pois utilizar transporte público e táxis (ou Uber) pode aliviar suas contas no final do mês e a mudança nem ser tão drástica assim. Se a resposta for SIM para a primeira pergunta passamos para a segunda parte.

Desvalorização e seguro

Um veículo sai da concessionária já desvalorizado. Por isso, quando for comprar um carro, pesquise bem. É bom lembrar que o valor do veículo fica muito maior quando se calcula também o seguro, a manutenção, o combustível que irá usar e mesmo a depreciação do veículo. Talvez um carro usado possa ser a solução.

Seis metas de Ano Novo para quem quer mudar a vida financeira

Casa

Agora a coisa ficou séria. Casa própria é muito mais do que um capricho, é uma necessidade. A sensação de segurança e conforto que a compra de uma casa dá, não pode se tornar um pesadelo. Novamente, é preciso pesquisar. Primeiro, lembre-se que casa precisa de reformas, tem impostos, taxas, condomínio e móveis. Seu orçamento cobre todas essas despesas?

Desvalorização

Muita gente se esquece, mas assim como carro, imóvel também desvaloriza. Então é preciso pesquisar bem onde está o imóvel, quais as condições, vizinhança, bairro e tudo o que pode afetar o valor dele. Além disso, também vem seu bem estar: o apartamento ou casa que está de olho será o que gostaria de morar nos próximos 30 anos?

Continuar a ler

Na Web

você pode gostar também

Comentários

Loading...