Julio Benck
Julio Benck
06 abr, 2017 - 01:56
trocar o óleo da moto

Sinais de que é hora de trocar o óleo da moto

Julio Benck

Entenda porque trocar o óleo da moto rigorosamente dentro dos prazos que o fabricante indica e nas especificações recomendadas, é tão importante.

O artigo continua após o anúncio

Trocar o óleo da moto é um procedimento vital para prolongar a vida útil do motor. Você tem moto – ou conhece quem tenha – e está percebendo um comportamento estranho do motor ao rodar? Cuidado, pode ser que o óleo esteja “nas últimas”.

Isso é muito sério, já que os sintomas de óleo em níveis abaixo do normal em motos geralmente passam despercebidos pelo motociclista. Saiba agora quais são eles e veja como evitar danos ao motor que podem custar muito caro.

Os sinais de que o óleo precisa ser trocado

Para trocar o óleo da moto, geralmente, o prazo é a cada 3 mil quilômetros. A frequência certa pode ser consultada no manual do proprietário. A exceção é para a primeira troca de óleo, feita quando o veículo completar 1 mil quilômetros.

Esta frequência deve ser observada principalmente em motos mais antigas, com mais de 30 mil km rodados, que exigem a troca de óleo a cada 1 mil quilômetros.

Veja também quando é preciso trocar o óleo do carro

Além disso, é importante ficar atento aos sinais, as vezes sutis, que o motor dá quando já está com óleo abaixo do normal. O mais perigoso é justamente a percepção de que o motor está rodando melhor do que o normal. Isso mesmo, motor muito solto é sinal de que há menos óleo em suas partes, o que faz com que ele rode mais livremente. Mas isso não dura muito.

Acompanhando essa performance aparentemente melhor, o barulho do motor aumenta de intensidade. Nesse caso, a falta de óleo faz com que o motor precise trabalhar mais para vencer o atrito, além do que o óleo em níveis normais também é um isolante acústico, deixando o motor mais silencioso.

Para evitar que o motor seja fundido, principalmente em motos antigas, é essencial conferir o nível do óleo toda semana e trocar o óleo da moto nos períodos indicados pelo fabricante. Para conferir o nível, pela manhã, retire a vareta que fica posicionada na parte de baixo da moto, e verifique se o óleo fica entre as marcas de mínimo e máximo.

O artigo continua após o anúncio

Qual o óleo certo?

De forma temerária, existem motociclistas que por conta própria utilizam óleo fora das especificações adequadas, por acharem que com isso ganharão em desempenho.

Trata-se de um engano que pode ser fatal para seu veículo. Jamais aceite indicações de óleo apenas porque ouviu alguém dizer. A única fonte de informação totalmente confiável nesse quesito é o manual do proprietário.

É comum, por exemplo, que proprietários de motos de maior potência prefiram óleo de base sintética. Esse tipo de óleo, em comparação com os de base mineral, de fato têm propriedades lubrificantes ligeiramente superiores, mas isso não significa que devam ser usados indiscriminadamente.

O óleo das motos é o mesmo que lubrifica as parte do câmbio. Logo, é fundamental contar com um óleo rigorosamente dentro do que o fabricante indica, sob pena de causar sérios danos ao motor ou à embreagem. Fora isso, um óleo projetado fora das especificações indicadas no manual pode não ser o ideal, considerando a temperatura do local onde a moto vai circular.

Um clima quente como o nosso ajuda a tornar o óleo menos viscoso mais rapidamente, por isso, normalmente um óleo com viscosidade 20W-50 é o mais indicado, por não ser nem muito viscoso, e nem “aguado” demais.

Portanto, não invente quando o assunto é trocar o óleo da moto. Busque informações exclusivamente no manual do proprietário em relação à frequência e o tipo de óleo a ser utilizado. Sua moto vai durar muito mais e sai bem mais barato para o bolso.

Compartilhar Twittar Pin Email WhatsApp