Tabela IRRF atualizada: veja como consultar

Saiba como calcular o Imposto Retido na Fonte usando a tabela IRRF. Para fazer esse cálculo será preciso considerar também a contribuição para o INSS.

O tributo do IRRF – Imposto de Renda Retido na Fonte – é descontado mensalmente aos trabalhadores de carteira assinada. O valor do desconto varia conforme o salário do empregado, considerando as faixas salariais da tabela IRRF 2018 vigente. Quando o imposto devido pelo contribuinte é menor do que o valor que ficou retido na fonte, significa que foi descontado mais imposto do que deveria. Assim, quando é feita a declaração do Imposto de Renda os valores são calculados e a diferença é reembolsada ao contribuinte.

A obrigação do desconto é da empresa empregadora, embora a percentagem descontada incida no salário do empregado. No entanto, quem recebe um valor inferior ao mínimo estipulado pela Receita Federal está isento de descontar o IRRF todos os meses.

Tabela IRRF

O IRRF, corresponde a um dos impostos que é descontado no salário dos trabalhadores regulares, ou seja, que trabalham com carteira assinada. Apesar dele ser um imposto que é cobrado ao contribuinte, a retenção do seu valor é obrigação do empregador.

Quando for calcular o valor do Imposto de Renda Retido na Fonte, tenha atenção a faixa salarial na qual se enquadra. Confira a tabela IRPF 2018:

Base de cálculo, em R$ Alíquota, em % Parcela a deduzir do IR, em R$
Até 1.903,98  –  Isento
De 1.903,99 até 2.826,65 7,5 142,80
De 2.826,66 até 3.751,05 15 354,80
De 3.751,06 até 4.664,68 22,5 636,13
Acima de 4.664,68 27,5 869,36

Veja também o que é IRRF: como calcular, vencimento e restituição

Como calcular o Imposto Retido na Fonte

Para fazer o cálculo corretamente do Imposto de Renda retido na fonte, é preciso saber o valor do INSS que serão descontado. Geralmente esse desconto apresenta um percentual que pode variar de 8% a 11%. Em todo caso, é sempre bom consultar a tabela do INSS e conferir qual o valor certo do desconto para poder dar continuidade ao seu cálculo do IRRF 2018.

Sabendo a quantia que deve ser descontada para a previdência, você pode dar continuidade ao cálculo do Imposto Retido na Fonte, que basicamente é efetuado em duas fases:

1ª fase: Faça primeiro o cálculo da contribuição para o INSS, considerando os dependentes. Para cada dependente (cônjuge, filho ou enteado até 21 anos, filho ou enteado até 24 se for universitário ou estiver cursando escola técnica) é abatido R$ 189,59 mensais.

Para exemplificar, imagine um contribuinte com remuneração mensal de R$ 3 mil. Para essa faixa salarial será aplicada a alíquota de INSS de 11%, que corresponde R$ 330,00 (R$ 3mil X 11% = R$ 330,00). Considere também que essa pessoa tenha um dependente e, por isso, terá um abatimento de R$ 189,59 mensais no imposto. Agora veja como seria feito o cálculo nessa primeira fase:

Exemplo: R$ 3mil (salário bruto) – R$330,00 (INSS) – R$ 189,59 (dependente) = R$ 2.480,41 (salário-base para o cálculo do IRRF).

2ª fase: Agora que já sabe qual é o salário-base para o cálculo do IRRF, basta aplicar a alíquota correspondente à faixa salarial. Neste caso, conforme a tabela IRRF 2017, a alíquota será de 7,5% – que corresponde a R$ 186,03 ( R$ 2.480,41 X 7,5% = R$ 186,03).

Desse valor obtido, subtraia o valor indicado como “parcela a deduzir” na tabela IRRF 2018, que no caso do contribuinte do nosso exemplo será de R$ 142,80. O resultado dessa conta será o valor do Imposto de Renda Pago (R$ 186,03 – R$ 142,80 = R$ 43,23).

Para chegar a conclusão de qual será o valor do salário líquido basta subtrair os valores de desconto ao salário bruto: R$ 3mil (salário bruto) – R$ 330 (INSS) – R$ 43,23 (IR) = R$ 2.626,77 (salário líquido).

Novidades

Fique atento, esse ano o governo federal preparou algumas novidades no Imposto de Renda de pessoas física. A Receita Federal determinou que todas as pessoas com oito ano de idade ou mais consideradas como dependentes na declaração do Imposto de Renda Pessoa Física – IRPF 2018, referente às informações do ano-calendário 2017, estão obrigadas a ter sua inscrição no Cadastro de Pessoas Físicas – CPF.

A partir de 2019, todas as pessoas deverão ter o cadastro, independentemente da idade. Até então, o fisco só exigia o CPF dos dependentes com idade superior a 12 anos.

Na Web

você pode gostar também