Quem é você no Natal? Nove tipos que toda família tem

Toda família tem o tiozão do pavê, o primo sem vontade de interagir e aquela que ama o Natal e contagia todo mundo. Descubra quem você no meio disso tudo. 

Todo fim de ano é a mesma coisa: a casa fica cheia de parentes, a mesa lotada de comida, ventiladores para todo canto para minimizar o calor, a decoração de Natal reinando absoluta na sala e você ali, se vendo obrigado a fazer a social e se perguntando quando é que esse povo vai embora.

Ok, podemos estar sendo pessimistas. Pode até ser que você seja aquela pessoa que se emociona em ver todos reunidos e passa a virada chorando. Ou aquele que se isola e fica no celular. Na ceia de Natal, o que não faltam são membros da família estereotipados. Saiba qual deles é você.

Tipos de pessoa que você encontra na ceia de Natal

Seja qual for seu sentimento a poucos dias do Natal, você não está sozinho: ao redor do mundo milhares de pessoas estão pensando o mesmo. Mas dentro da sua família pode ter certeza que não faltarão personalidades diferentes, opiniões conflitantes, muito climão e, quem sabe, até umas brigas. Descubra em qual desses tipos você se encaixa.

  • Tiozão do pavê

Toda família tem o tiozão do pavê. Se a sua família não tem sinto informar, mas provavelmente o tiozão do pavê é você. Ele pode até ter abolido a piadinha mais clássica do Natal depois que entrou no Facebook e descobriu que todo mundo odeia ela, mas isso não o impede de fazer trocadilhos infames, tirar sarro do corte de cabelo diferente do sobrinho ou tentar ser engraçado e deixar todo mundo com aquele sorriso amarelo.

Como identificá-lo: graças ao WhatsApp ficou mais fácil descobrir quem é o tiozão do pavê. Ele é aquele que manda piadas velhas e ultrapassadas e textões cheios de emojis gargalhando.

  • Criança pentelha

O Natal é uma época mágica para as crianças, pois elas são as únicas que ganham presente sem se preocupar com o boleto pra pagar em janeiro. E aí chega seu priminho de seis anos com o brinquedo cheio de luzes e sons e passa a ceia toda trombando com as pessoas, gritando e fazendo barulhos irritantes enquanto derruba vários copos da mesa.

O fato de comer muito doce contribui para que a energia dele não acabe nunca, enquanto o estresse dos convidados só aumenta. Quando ele cansa começa a fazer birra, chorar e espernear porque quer ir embora e deixa todas as pessoas ao redor com vontade de colocá-lo para dormir imediatamente.

Como identificá-lo: quando a bateria do brinquedo acabar ele vai pedir pra jogar no celular do primo mais velho ou no PS3 do dono da casa. E se houver recusa ele vai dar um show.

  • Aquele que só quer comer

Essa é, sem duvidas, a melhor pessoa do Natal. Ela sabe que terá que pagar caro pelos presentes, que vai precisar interagir com tios desagradáveis e brincar com o priminho para ele ficar quieto, mas simplesmente não se importa, pois tudo isso tem um motivo maior: a comilança.

Para essa pessoa, as clássicas piadas do tiozão são um pequeno preço a se pagar pela fartura da mesa. Ela ri dos trocadilhos infames enquanto engordura os dedos com mais um pedaço de peru ou pega mais uma fatia de torta holandesa. O objetivo é experimentar todos os pratos, e se para isso ela precisar ser sociável fará isso sem medo.

Como identificá-la: no fundo, somos todos um pouco dessa pessoa, não é?

  • Bêbado inconveniente

Tem gente que não pode ver uma festa sem enxergar uma possibilidade para queimar a largada. Essa pessoa abre uma cerveja às 14 horas da véspera do Natal porque “hoje pode”, depois outra e depois mais uma e chega na ceia com um brilho diferente nos olhos.

E aí, meu amigo, só tende a piorar. Ela vai misturar a cerveja com cidra Cereser, vai bebericar um gole de vinho e vai querer estourar a champanhe à meia-noite. Vai fazer um discurso enrolado e que ninguém vai entender, abraçar todo mundo com lágrimas nos olhos e dizer que está orgulhoso pelo sobrinho ter passado na faculdade. Vai demorar meia hora para revelar quem é o amigo secreto e derrubar a árvore de Natal. E no dia seguinte não vai lembrar de nada disso.

Como identificá-lo: é aquela pessoa com o rosto vermelho, olhos marejados, suando muito e tentando combinar um churrasco para reunir a família novamente em janeiro.

  • A tia emotiva

Sabe aquela tia que você só encontra na época do Natal, ou que mora longe e vai passar a data com você pela primeira vez? Espere muitas lágrimas dela. A tia emotiva, que pode ser uma ou várias, vai lembrar que te viu quando era pequenininho, que limpou seu bumbum e que hoje você já é um adulto feito. Vai comentar como o tempo passa, como ela está velha e como vocês precisam manter o contato.

Na hora da ceia vai fazer uma oração agradecendo a Deus pela família reunida e chorar. Vai carregar os sobrinhos-netos e chorar. Vai ver as fotos da formatura e do casamento de alguém e chorar. Se ela beber um pouquinho, então, prepare-se para choradeira em dobro. O clima natalino tocou forte nessa pessoa.

Como identificá-la: ela estará chorando antes mesmo de cortar o peru.

Veja 27 ideias de presentes de Natal de R$ 10 a R$ 100

  • A prima que ama Natal

O famoso clima natalino realmente faz sentido quando você se depara com essa pessoa. Ela adora receber os parentes em casa para celebrar o nascimento do menino Jesus, orgulha-se da decoração repleta de luzinhas, guirlandas, presépio e a enorme árvore de Natal na sala. Fala o tempo todo sobre a magia da época, o quanto está feliz em ver todos reunidos e como todos devemos parar e fazer uma reflexão sobre essa data tão importante.

A parte boa é que ela consegue contagiar todo mundo com sua animação, o que faz com que a festa dure muito mais tempo. As chances de ganhar um presente dela também são imensas. A parte ruim é que ela adora tradições, incluindo ver todo mundo com gorro de Papai Noel e cantando canções natalinas perto da meia noite.

Como identificá-la: no dia 1º de dezembro ela já estará falando sobre o Natal e compartilhando mensagens sobre a data no Facebook.

  • Mão de vaca

Essa pessoa não gosta do Natal, pois tudo fica caro nessa época. Ela reclama que os preços no supermercado estão altos demais, e por isso só está comendo o que veio na cesta que ganhou da firma. Aliás, para a ceia, ela trouxe o arroz com passas, não porque é uma comida típica natalina e sim porque o arroz ela já tinha em casa e as passas vieram na cesta e ela não gosta.

Foge do amigo secreto, mesmo com o limite de preço baixo, e quando percebe uma movimentação e troca de presentes finge que precisa ir ao banheiro. No fim da ceia, faz uma ou mais marmitas para levar a comida para casa – e, consequentemente, economizar nas refeições dos dias seguintes.

Como identificá-la: experimente perguntar para ela onde está seu presente e prepare-se para um discurso infinito sobre como as pessoas valorizam demais a troca de presentes no fim do ano.

Veja 58 músicas que não podem faltar na sua playlist de Natal

  • Primo sem vontade de interagir

Geralmente esse tipo é adolescente ou pré-adolescente, aquela fase em que tudo que eles não querem é ficar com a família. Pode ter certeza que ele preferia estar com os amigos ou em casa no computador. Mas como foi obrigado pelos pais a participar da ceia trouxe consigo a maior cara de desgosto possível e o carregador do celular para garantir que não precisará interagir em nenhum momento da festa.

Como identificá-lo: celular nas mãos, digitando freneticamente, com algumas risadas esporádicas e uma revirada nos olhos caso alguém lhe fale “conversa com seus primos”.

  • As tias que perguntam tudo que você não quer ouvir

De longe elas parecem simpáticas senhoras que só desejam ver a felicidade dos seus sobrinhos. Podem até trazer presentes ou, na melhor das hipóteses, dar dinheiro para você comprar o quiser. Mas é uma armadilha: quando você começar a apreciar a presença delas e resolver sentar perto para poder conversar será bombardeado com uma série de questões que o farão querer chorar embaixo da cama.

“Como está a faculdade?”, “Você se forma quando?”, “Seu curso dá dinheiro?”, “No que você trabalha?”, “Você ainda está desempregado?”, “Está namorando?”, “Largou do namorado de novo?”. A dica é engolir em seco, responder o mínimo possível e fingir que sentiu cheiro de queimado na cozinha. Caso contrário as respostas podem ser igualmente estarrecedoras, como “o filho de fulana, que se formou com você, já comprou carro e apartamento”, “a sua prima já esta noiva” ou “você engordou um quilinhos desde o último Natal”.

Como identificá-las: assim que perceber um grupo te olhando como se estivesse buscando sua fraqueza, fuja. Repito, fuja. Não tente fazer amizade.

Continuar a ler

Na Web

você pode gostar também

Comentários

Loading...