Heloísa von Ah
Heloísa von Ah
03 jul, 2017 - 08:00
profissões pouco conhecidas

5 profissões pouco conhecidas e bem remuneradas

Heloísa von Ah

Certamente elas não estão entre suas preferências, mas saiba que existem profissões pouco conhecidas onde faltam profissionais e sobram bons salários.

O artigo continua após o anúncio

É claro que para toda regra existe uma exceção, mas o fato é que geralmente profissões pouco conhecidas costumam ter boas remunerações, principalmente devido à raridade de encontrar tais profissionais. Seja pela exigência em termos de especialização ou simplesmente por não haver tanta popularidade e “glamour” em algumas profissões, sobram vagas para salários realmente atraentes.

As profissões que mais perderam status nos últimos anos

Profissões pouco conhecidas, mas promissoras

Dentre profissões pouco conhecidas e outras que muita gente não sabe ao certo o que realmente faz, listamos 5 carreiras. Aqui os salários atraem, mas ainda existe muita procura por esses profissionais no mercado.

1. Sexador

Essa palavra te pareceu estranha? Então conheça a carreira de sexador, que nada mais é que o profissional responsável por identificar o sexo das aves quando estas possuem apenas um dia de vida. De acordo com Takaaki Mifune, Presidente da Associação Brasileira de Sexadores, para seguir na profissão “é preciso saber pegar, manusear e observar a cloaca – cavidade onde se abrem o canal intestinal e os aparelhos urinário e genital”.

No Brasil, existem cerca de 150 profissionais para tal tarefa, onde a média de acerto destes sobre o sexo dos animais fica em torno de 95%. Cada profissional da área que trabalha em granjas costuma avaliar mil aves por hora, e pode ganhar até R$ 180 mil ao ano.

2. Analista Sensorial

É Quase isso que você está imaginando. O Analista Sensorial é o profissional com sentido olfativo e paladar bem desenvolvido, contratado para avaliar gostos e odores. Geralmente para conseguir chefiar uma equipe da área é preciso ser formado em Engenharia de Alimentos, mas para trabalhar como um degustador ou outro analista sensorial, basta apresentar o sentido desejado bem aguçado.

Você se enquadra nessas características? Então saiba que empresas do ramo alimentício (como a Nestlé) frequentemente oferecem treinamento para degustadores, que devem provar os produtos a cada três horas, para garantir sempre a mesma qualidade. Empresas automotivas, a exemplo da Peugeot, também contratam analistas sensoriais. Neste caso, os profissionais são pessoas com sentido olfativo apurado, capazes de identificar e qualificar os odores presentes nos materiais dos carros novos. O salário? Dependendo da empresa, varia entre R$ 5 mil e R$ 10 mil mensais.

Veja qual a profissão do século, segundo a Harvard Business

O artigo continua após o anúncio

3. Audiodescritor

Com o crescimento de funções voltadas à acessibilidade, audiodescritores estão entre as carreiras em alta, ainda que estejam entre as profissões pouco conhecidas no Brasil. Como funções, o audiodescritor precisa transmitir de forma objetiva informações visuais contidas em obras de arte, filmes, eventos e espetáculos, sem se sobrepor ao conteúdo sonoro. Como objetivo, o processo visa compensar os elementos visuais por meio de palavras.

A demanda é grande, mas é preciso ter sensibilidade e treinamento. Se quiser trabalhar como audiodescritor o preço médio da hora em eventos presenciais gira em torno de R$ 200. Em uma diária de sete horas, os serviços já ficam na média entre R$ 1.200 a R$ 1.400. Quando a audiodescrição é voltada para TV e cinema, o minuto de adaptação fica entre R$ 100 e R$ 150, uma vez que envolve profissionais como diretores e roteiristas.

4. Cliente Oculto

Essa provavelmente é uma carreira que todos gostariam de ter. Com o objetivo de testar a qualidade de produtos e serviços “na surdina”, companhias dos mais diversos segmentos contratam um profissional chamado Cliente Oculto, que pode ser qualquer pessoa com mais de 18 anos e potencial para o cargo.

Para se candidatar, basta preencher um cadastro com informações de perfil e características sobre o que o que gosta de fazer, lugares que costuma frequentar, estilo de roupa, e outras. A partir desses dados, é desenhado o perfil do cliente oculto. Entre as contratantes estão hotéis, restaurantes, incorporadoras, concessionárias, companhias de seguros e aéreas, por exemplo.

No Brasil, essa profissão ainda é vista somente como um “freela”, mas nos Estados Unidos e Europa já é possível viver somente com esse trabalho. Por aqui os ganhos vão de R$ 50 a R$ 500 por cada avaliação feita.

5. Engenheiro de Alimentos

Mas espera, Engenheiro de Alimentos entre as profissões pouco conhecidas? Pois bem, essa pode até ser uma carreira popular, mas muitos ainda não sabem bem o que esse profissional pode realizar, de fato. Com um extenso leque de possibilidades, aquele que investir nessa carreira pode atuar em qualquer processo relacionado com a industrialização de alimentos. Fases de projeto, pesquisa, desenvolvimento, fabricação, conservação, armazenamento, transporte e comercialização; tudo o que diz respeito ao processo de transformação da matéria-prima em produto acabado está ao alcance do engenheiro de alimentos.

Dentre os segmentos que também o absorvem está o de fiscalização, contratados por órgãos como a Anvisa e SIF; o setor de qualidade; na produção de madeira para serraria ou outras indústrias; na logística florestal ou transporte de madeira; e ainda no campo, manejando florestas nativas, monitorando fauna e flora, recuperando áreas degradadas e outros – chamados de silvicultores, no caso.

Os salários podem variar muito, mas em geral estão acima dos R$ 3 mil para iniciantes, R$ 10 mil para cargos intermediários e até R$ 20 mil no auge da carreira.

O artigo continua após o anúncio

 

Compartilhar Twittar Pin Email WhatsApp