Andar com o carro no ponto morto economiza combustível? Entenda

Abandone de uma vez por todas a crença de que ponto morto economiza combustível. O que acontece é exatamente o contrário e você ainda pode levar uma multa

Se o ponto morto economiza combustível, então não há necessidade da injeção eletrônica. Em tempos passados, quando a carburação era feita mecanicamente, a banguela até poderia gerar alguma economia. Mas atualmente, a mistura ar/combustível é calculada por dispositivos eletrônicos.

Na verdade, nos veículos equipados com injeção eletrônica de combustível, a banguela causa mesmo é o efeito contrário. É o que vamos entender agora, acompanhe o artigo até o final.

Andar com o carro no ponto morto: mitos e dúvidas frequentes

Como a banguela fazia economizar combustível?

Para que um veículo entre em funcionamento, é necessário operar internamente a mistura de ar e combustível. Essa mistura entra em combustão no interior do motor, gerando a energia que resulta em movimento.

Era justamente essa a função do carburador nos carros de antigamente. Tratava-se da peça responsável por elaborar a mistura de ar e combustível, de acordo com a dosagem indicada pela velocidade apurada pela conexão com o acelerador.

O carburador calcula mecanicamente o quanto precisa misturar para desenvolver determinada potência e a quantidade de Rotações Por Minuto (RPM).

Como todo seu funcionamento é mecânico, quando o câmbio estava em ponto morto, o carburador operava no sistema de marcha lenta. Desta forma, ele passava a injetar menos combustível.

No entanto, com o advento da injeção eletrônica, a banguela tornou-se completamente obsoleta. Na verdade, ponto morto economiza combustível, só que não. O que acontece de fato é o oposto, já que, além de forçar mais o consumo, andar em ponto morto pode até danificar o carro.

A injeção eletrônica pôs fim à banguela

Como todos os carros atuais são equipados com injeção eletrônica, recorrer à banguela, além de inútil, aumenta o consumo. O processo de injeção de combustível é realizado por meio do que se chama de estratégia de injeção. Significa que, ao deixar o carro em ponto morto, ou ao acionar o pedal de embreagem, há apenas a redução no envio de combustível para o motor.

Já quando o motorista está com alguma marcha engatada e rodando numa faixa de rotações considerada ideal, a injeção entra em modo Cut-Off. O combustível deixa de ser injetado, portanto, não há consumo quando se opera nesse modo.

Isso acontece quando, por exemplo, a quinta marcha está engatada e o carro em rotações entre 1.500 e 2.000 RPM.

Sendo assim, ao invés de aproveitar para economizar na estratégia de injeção Cut-Off, o ponto morto economiza combustível, mas não totalmente, já que ele continua sendo injetado.

Para que o Cut-Off entre em ação, é preciso que o acelerador esteja em repouso. Ao acelerar, a injeção de combustível acontece normalmente.

Ponto morto aumenta o desgaste de peças

Além de tornar o consumo de combustível maior, a banguela também causa maior desgaste dos freios. Isto porque, sem o engate da marcha, perde-se a ação do freio motor. Além de não economizar, a banguela pode ser bastante perigosa.

Em ladeiras, o uso do ponto morto é uma temeridade, já que aumentam as chances de o veículo assumir velocidade excessiva. Já nas curvas, ao entrar com o carro sem o apoio do freio motor, a perda de controle é iminente. Desta forma, o ponto morto pode ser um tremendo perigo.

Outra consequência prejudicial ao motor pelo uso continuado do carro em ponto morto é a falta de lubrificação da caixa de marcha. Com o carro engrenado, a caixa e seus componentes recebem lubrificação, o que ajuda a reduzir o desgaste das peças também pela ação do calor.

Carros que consomem menos combustível

Ponto morto pode gerar multa

Outra consequência adversa em achar que ponto morto economiza combustível é a multa. De acordo com o Código de Trânsito Brasileiro, em seu capítulo XV:


Transitar com o veículo:

IX – desligado ou desengrenado, em declive:
Infração – média;
Penalidade – multa;
Medida administrativa – retenção do veículo;

A multa, não custa lembrar, fica no valor de R$ 130,16, e o motorista penalizado perde 4 pontos na CNH. Então, se você quer poupar combustível, aumentar a vida útil de freios, caixa de marcha e evitar multas, ande sempre com a marcha engatada. Como diria Roberto Carlos, “não se arrisque na banguela”.

 

Continuar a ler

Na Web

você pode gostar também

Comentários

Loading...