4 motos econômicas para trabalhar

Conheça quatro modelos de motos econômicas para trabalhar, já que suportam cargas relativamente altas, apresentam baixo consumo e custam pouco

Encontrar motos econômicas para trabalhar é o objetivo de quem precisa transportar pessoas ou cargas com a maior rapidez possível. Desde que as leis de trânsito sejam respeitadas e a segurança colocada em primeiro lugar, uma moto garante muito mais agilidade.

O Brasil é um dos países do mundo em que mais se vende motos. Prova disso é que o veículo mais comercializado de todos os tempos por aqui é a Honda CG, com mais de 11 milhões de motos emplacadas. Para se ter uma ideia comparativa, o carro campeão de vendas de todos os tempos no Brasil, o Gol, vendeu 6,2 milhões de unidades.

É claro, além da CG, existem outras motos econômicas para trabalhar e com bom custo benefício. Acompanhe o artigo e você vai ver que existem boas opções!

As motos mais baratas do Brasil

Como escolher motos econômicas para trabalhar?

Se a ideia é escolher um veículo em duas rodas que seja bom para o trabalho, o critério número um é a economia. Consumir pouco combustível, ter baixo custo de manutenção e preço baixo já ajudam na hora de decidir.

Um outro critério importante é o quanto a moto suporta de carga. Afinal, para quem trabalha transportando alimentos ou faz entregas expressas saber quanto a moto pode transportar é fundamental.

Desta forma, começamos por um modelo que apresenta a maior capacidade de carga entre todas. Os preços têm como base a tabela FIPE.

Yamaha YBR 125

Não é fácil ser a concorrente direta da moto mais vendida do Brasil. Mas em pelo menos um quesito a YBR 125 da Yamaha supera a CG, e com folga. A capacidade de carga da moto da Yamaha é 32 kg superior a da campeã de vendas. Um volume considerável e que a torna uma das preferidas por motoboys e entregadores.

  • Preço: R$ 7.010,78
  • Potência: 10,2 cv a 7.800 RPM
  • Torque máximo: 1,13 kgf.m a 6.000 RPM
  • Combustível: Gasolina
  • Capacidade do tanque de combustível: 11,3 litros + 1,7 da reserva
  • Partida: elétrica
  • Capacidade de carga: 198 kg
  • Altura do assento: 780 mm
  • Consumo de combustível: 41,5 km/l

Honda CG 125

Impossível formar uma relação das motos mais econômicas para trabalhar (e para outras finalidades) sem citar a número um. A CG Titan completou, ano passado, 40 anos de vida no Brasil, o que a torna o veículo mais longevo ainda em produção.

São diversas as qualidades que podem ser destacadas, mas uma das principais é a potência entregue. Para uma moto de 125 cc, a CG rende muito bem, embora precise de rotações mais altas para alcançar sua potência máxima.

Mas é no consumo de combustível que a CG torna-se ainda mais imbatível. De fato, é difícil superar uma moto que rode tanto com tão pouca gasolina.

  • Preço: R$ 7.090,00
  • Potência: 11,8 cv a 8.500 RPM
  • Torque máximo: 1,06 kgf.m a 5.000 RPM
  • Combustível: Gasolina
  • Capacidade do tanque de combustível: 12,6 litros + 2 da reserva
  • Partida: pedal
  • Capacidade de carga: 166 kg
  • Altura do assento: 782 mm
  • Consumo de combustível: 50 km/l

Suzuki Yes 125

Sim, existe vida fora das gigantes Honda e Yamaha, e a Suzuki Yes é um dos modelos que está aí para representar uma terceira opção. Se comparada com a CG 125, por exemplo, é inegável que a partida elétrica da Yes é uma vantagem.

Outra característica que a torna única são suas rodas de liga leve. Diferente das concorrentes, este é um atributo que merece ser considerado, já que o pneus, nesse tipo de roda, são tubeless, sem câmara de ar. Este pneu é mais fácil de ser reparado do que os que têm câmara, portanto, mais um ponto a favor da valente Yes. Como nem tudo é perfeito, o destaque negativo fica por conta do consumo, bem longe do que apresentam as rivais.

  • Preço: R$ 6.612,19
  • Potência: 12 cv a 9.000 RPM
  • Torque máximo: 1,14 kgf.m a 7.000 RPM
  • Combustível: Gasolina
  • Capacidade do tanque de combustível: 12 litros + 2 da reserva
  • Partida: elétrica
  • Capacidade de carga: 160 kg
  • Altura do assento: 735 mm
  • Consumo de combustível: 30 km/l

As motos mais econômicas do mercado

Suzuki GS 120

Ainda longe de ser um sucesso de vendas, a Suzuki GS 120 merece ser citada pelo simples fato de ser uma moto projetada para uso urbano. Claro que trata-se de um modelo básico em todos os sentidos, mas para quem busca economizar na hora da compra, eis um modelo que não tem concorrente similar.

Entre as motos econômicas para trabalhar, a GS 120 é uma boa aposta, pois custa muito pouco e apresenta consumo relativamente baixo.

  • Preço: R$ 4.490,00 (promoção no site)
  • Potência: 8,4 cv a 8.000 RPM
  • Torque máximo: 0,88 kgf.m a 5.500 RPM
  • Combustível: Gasolina
  • Capacidade do tanque de combustível: 9,2 litros total
  • Partida: pedal
  • Capacidade de carga: 150 kg (média para a categoria)
  • Altura do assento: 766 mm
  • Consumo de combustível: 39,4 km/l

Continuar a ler

Na Web

você pode gostar também

Comentários

Loading...