Como saber se caí na malha fina do imposto de renda

Será que você foi o escolhido? Veja como funciona a malha fina do imposto de renda e saiba como preencher os dados corretamente na hora de declarar.

A Receita Federal se atualiza constantemente para evitar fraudes nas declarações do imposto de renda. Mesmo quem entrega tudo certo pode cair na malha fina, já que a verificação é rigorosa e leva em conta diversos critérios. Veja como não cair na malha fina do imposto de renda.

Veja também: Como pagar menos imposto de renda

Como funciona a malha fina do imposto de renda

A Malha Fiscal da Declaração de Ajuste Anual da Pessoa Física, conhecida como malha fina, é a revisão de todas as declarações, na qual são efetuadas verificações dos dados declarados pelo contribuinte cruzados às informações de outros elementos disponíveis nos sistemas da Secretaria da Receita Federal.

Após a entrega das declarações do IR, o sistema começa o processamento eletrônico, e depois serão realizadas as sequências de verificações para identificar erros de preenchimento e inconsistência das informações apresentadas, que podem apresentar infração à legislação tributária.

Caso surjam irregularidades, o contribuinte cai na malha fina do imposto de renda e alguns documentos podem ser solicitados. A não apresentação das informações e documentos solicitados ou o não atendimento às intimações solicitadas pelos auditores fiscais da Receita Federal implicam em infração.

Veja também: Quem deve declarar imposto de renda
 

Consultar a malha fina do imposto de renda

Para saber se está na malha fina, o contribuinte deve acessar o e-CAC (Centro Virtual de Atendimento) com seu CPF, código de acesso e senha. Em seguida, escolha a opção “Declarações e Demonstrativos” e “Extrato do Processamento do DIRF”.

Na coluna “Situação da Declaração”, será possível consultar o status da declaração: processada, na fila de restituições ou com pendências. Se estiver com pendências, confira quais falhas foram identificadas para saber como sair da malha fina do imposto de renda.

Para acessar esse extrato do IR é necessário utilizar o código de acesso gerado na própria página da Receita Federal ou certificado digital emitido por autoridade habilitada.
 

Como sair da malha fina do imposto de renda

A Receita Federal começa a liberar o lote de restituições em 16 de junho de 2017. Quem declarou, mas não entrou no lote está retido na malha fina do imposto de renda e precisa corrigir a falha para ter direito ao dinheiro. Confira o passo a passo:

  • Confira quais erros foram identificados na declaração do imposto de renda;

  • Abra o programa do Imposto de Renda e confira sua declaração;

  • Na ficha “Identificação do Contribuinte”, clique em “declaração retificadora”. É essa declaração que deve ser feita toda vez que a Receita encontrar algum erro na declaração;

  • Informe o número do 4 recibo da declaração entregue;

  • Procure a ficha na qual está informação errada e corrija os dados;

  • Verifique se existem mais pendências encontradas pelo sistema;

  • Clique em “Entregar declaração”;

  • Informe seus dados bancários para a restituição.

A Receita Federal libera em seu site um rascunho para preenchimento das informações que serão declaradas ao longo do ano. Dessa forma, o contribuinte não corre o risco de deixar passar em branco algum dado e tem um apoio na hora de fazer a declaração.
 

Como evitar cair na malha fina

Para não entrar na malha fina do imposto de renda é preciso ter precisão na hora de preencher os dados informados na declaração, principalmente os referentes a números do informe de rendimentos, que trazem as mesmas informações repassadas pelas empresas ao Fisco. Qualquer alteração é suficiente para a declaração cair na malha fina.

É fundamental declarar apenas as despesas que possam ser comprovadas e os valores informados pelas fontes pagadoras ou recebedoras devem estar corretas conforme a declaração do contribuinte.

Veja também: Dedução por dependente no IR: veja como funciona e o valor em 2017

Qualquer erro no preenchimento, inclusive de centavos, se torna um motivo de malha fina. Os erros mais comuns estão relacionados a:

  • Preenchimento dos rendimentos;
  • Preenchimento do imposto e do INSS retido;
  • Omissão de mais de uma renda do declarante;
  • Omissão dos rendimentos dos dependentes;
  • Omissão de resgates de previdência privada PGBL.

O contribuinte que possuir mais de uma fonte pagadora deve informar todos os valores recebidos, sejam eles pagamentos por serviços, salários ou aluguéis, pois a Receita terá acesso ao valor de cada um.

É importante lançar também todos os rendimentos dos dependentes. Em 2016 a Receita Federal reteve 771.801 declarações do imposto de renda, sendo 53% por omissão de ganhos. Mais de 293 mil foram retidas por diferenças entre a declaração do empregador e do funcionário.

O contribuinte não pode informar uma pessoa como dependente quando ela já está como dependente em outra declaração do Imposto de Renda. É importante também não deixar de lançar os rendimentos de todos os dependentes, caso haja.

Continuar a ler

Na Web

você pode gostar também

Comentários

Loading...