5 universidades para fazer intercâmbio na Ásia

As universidades asiáticas são reconhecidas em rankings estudantis e consideradas algumas das melhores do mundo. Saiba onde fazer o seu intercâmbio na Ásia.

Estados Unidos, Canadá e Inglaterra formam o top 3 dos destinos mais escolhidos pelos brasileiros para fazer intercâmbio. A cultura dos países, amplamente divulgada em filmes, livros, músicas e séries, desperta a curiosidade de milhares de estudantes, que na ânsia de escolher um destino acabam ignorando outros países igualmente ricos culturalmente e com opções tão boas quanto – como um intercâmbio na Ásia, por exemplo.

O continente asiático é frequentemente esquecido pelos estudantes de intercâmbio, apesar de ter algumas das melhores universidades do mundo. Confira 5 opções para fazer intercâmbio na Ásia e sair do convencional.

Onde fazer intercâmbio na Ásia

As universidades asiáticas são reconhecidas pela excelência e ocupam ótimas posições nos principais rankings universitários. A maioria delas oferece bolsas para estudantes estrangeiros que desejam fazer intercâmbio na Ásia, com oportunidades desde graduação até PhD, passando por cursos rápidos.

Conheça algumas das melhores e saiba qual combina melhor com seus planos de estudos.

1. Universidade Nacional de Cingapura – National University of Singapore (NUS)

Eleita em 2016 primeira colocada no QS University Rankings: Asia e 12º colocada no QS World University Rankings, a NUS tem mais de 37 mil estudantes e professores de 100 países diferentes e é uma universidade altamente internacionalizada. São 24 institutos de pesquisa, três centros de pesquisa de excelência e 53 cursos de bacharelado.

Para participar dos programas de graduação é preciso enviar certificado de aprovação no teste Singapura-Cambridge G.C.E, diploma do ensino médio e certificado de proficiência em inglês. Os programas de pós-graduação avaliam o grau de comprometimento acadêmico, cartas de recomendação, resultados de testes e experiência profissional.

O Ministério da Educação subsidia o estudo dos alunos aprovados na NUS e a universidade cobra apenas taxas subsidiárias. Em alguns cursos o estudante deve prestar serviços para o governo após a formatura em troca do pagamento das mensalidades.

A instituição também oferece um programa de verão de cinco semanas com foco na cultura asiática. Chamado FASStrackAsia, o custo fica em torno de US$ 2.590 por disciplina e não cobre despesas com deslocamento e acomodação. 

2. Universidade de Pequim – Peking University

Uma das melhores universidades da China e uma das mais importantes da Ásia, a Peking University se destaca nas áreas ligadas às Ciências, desde as básicas até as aplicadas – tanto que é conhecida como Harvard chinesa. 

A publicação britânica Times Higher Educations (THE) a considerou a melhor universidade dos países emergentes. Não é para menos: a universidade tem convênio com mais de 200 universidades pelo mundo, 242 programas de pós e mestrado e 212 de doutorado e foi a primeira da história moderna da China, além de possuir a maior biblioteca universitária da Ásia. 

Não é necessário saber mandarim para cursar as aulas, já que um dos focos da universidade é a internacionalização, porém é importante ter inglês fluente, idioma mais usado pelos alunos e professores. O governo chinês oferece bolsas que custeiam não só a mensalidade como também os gastos para que aluno se mantenha durante o curso. 

Ásia

 

3. Universidade Nacional de Taiwan – National Taiwan University

A National Taiwan University é uma das universidades que mais atrai alunos para intercâmbio na Ásia interessados nas áreas de “liberal arts”, como filosofia, antropologia e teatro, e “bioresources and agriculture”, como medicina veterinária e biotecnologia. 

Estudantes que se interessem em fazer um curso de mandarim podem escolher entre uma gama de opções que vão desde o básico até o avançado, com temas específicos segundo o interesse do aluno. Para os intensivos do idioma não há bolsas de estudo disponíveis, mas quem deseja vaga no mestrado ou doutorado pode participar de programas específicos para ter apoio financeiro. 

Quem deseja uma vaga na universidade precisa enviar um histórico escolar completo e o resultado do TOCFL, teste semelhante ao TOEFL, porém que avalia a fluência em mandarim. A fluência em inglês também é um ponto positivo. 

4. Universidade Tsinghua – Tsinghua University

Outra universidade chinesa de destaque, considerada a segunda melhor localizada em países emergentes pela Times Higher Educations (THE), abriga quase 3 mil estudantes estrangeiros e foi responsável pela graduação de nomes importantes, como o filósofo Feng Youlan e o escritor Qian Zhongshu. 

Reconhecida pelo seu foco em áreas de engenharia e ciências exatas, em 2001 a universidade recebeu uma Escola de Medicina e em 2012 as escolas de Humanidades e Ciências Sociais, algo que pretende ampliar e fortalecer para os próximos anos. 

Os programas para quem deseja fazer intercâmbio na Ásia dentro da Tsingua University são amplos: MBA em parceria com o MIT, formação de novos líderes globais no Schwarzman Program e 14 opções de mestrado em inglês, além de uma série de matérias de graduação. 

5. National Tsing Hua University (NTHU)

O físico Tsung-Dao Lee, que contribuiu para o estudo de partículas elementares, e o químico Yuan-Tseh, são ex-alunos da instituição e venceram o Prêmio Nobel em suas áreas de atuação. A instituição se destaca não só pelos ex-alunos famosos, mas também pelo programa de Engenharia Nuclear, que atrai estudantes de todo o mundo, e pelas matérias que vão de gestão de resíduos à física nuclear aplicada. 

Estudantes de mestrado e doutorado que desejem fazer intercâmbio na Ásia podem recorrer à programas de bolsas de estudo da universidade, como o NTHU Internacional Student Scholarship, que oferece ajuda de custo de US$ 5 mil ao mês. Alunos estrangeiros também têm prioridade para conseguir vagas nos dormitórios estudantis.

Veja também:

Continuar a ler

Na Web

você pode gostar também

Comentários

Loading...