Qual a hora certa de trocar as marchas do carro? Entenda

Saber qual é a hora certa de trocar as marchas garante uma direção uniforme, o que contribui para a conservação do carro e o prolongamento da vida útil de peças e componentes

hora certa de trocar as marchas ao dirigir nem sempre é corretamente assimilada. Não são poucos os motoristas que arranham a marcha na hora de fazer a mudança de velocidade. Tal falha pode causar o desgaste prematuro da caixa de marcha. Isso porque o arranhar libera limalha que se mistura ao óleo, corroendo todos os componentes do sistema.

O assunto desperta a dúvida de motoristas, principiantes ou não. Por isso, destacamos as boas práticas para garantir uma troca de marchas segura e eficaz. Acompanhe o artigo até o final.

3 erros comuns ao pisar na embreagem

Reduzir a marcha corretamente

O princípio de acionamento do pedal de embreagem para redução de velocidade é o mesmo da aceleração. O procedimento é pisar no pedal até o fim, engatar a marcha e ir soltando conforme se acelera.

Na redução, entretanto, existem algumas particularidades, como por exemplo, a necessidade de se tirar o pé do acelerador antes mesmo de pisar no pedal. Nesse momento, para garantir a hora certa de trocar as marchas, verifique se a velocidade é compatível com a marcha a ser engatada.

Após esta leve desacelerada, aí sim, pise na embreagem e engate a marcha. Pise novamente no acelerador e vá tirando o pé da embreagem de forma controlada.

O ideal é sempre manter o controle das etapas para que a redução seja feita de forma segura. Reduções para marchas em velocidades incompatíveis podem causar trancos perigosos. Em alta velocidade eles podem até fazer com que o controle do veículo seja perdido.

Quando reduzir para primeira marcha

A redução de marcha com o carro em movimento é até certo ponto fácil de administrar. Mas, no caso da passagem para a primeira marcha, pode ser que não seja identificado corretamente a diferença entre parar e reduzir.

Antes de mais nada, é importante entender exatamente qual a função da primeira marcha. Também chamada de marcha de força, ela é a que imprime maior torque, possibilitando tirar o carro da inércia. É usada, portanto, para colocar o carro em movimento.

Sendo uma marcha de força, a primeira é indicada para situações em que a segunda marcha não é suficiente para transferir força do motor para as rodas. Se for preciso reduzir a velocidade numa subida, por exemplo, indica-se a primeira marcha. Em congestionamentos ou em estacionamentos, situações em que normalmente a velocidade é muito baixa, a primeira marcha é uma opção de segurança ao reduzir a velocidade.

Andar com carro no ponto morto economiza combustível?

Rotação ideal para mudar de velocidade

Não existe uma uniformidade para todos os veículos que defina a hora certa de trocar as marchas. Cada modelo responde de maneiras distintas aos comandos do motorista, dependendo de sua categoria, peso, potência e outros fatores.

Há donos de carros urbanos que percebem que, a partir de determinada marcha é que o carro parece desenvolver mais. Outros já não percebem esta diferença em seus veículos.

Em resumo, existem relações distintas entre o câmbio de um veículo e seu motor. O que pode ser observado é uma faixa comum, que garante de fato maior segurança ao mudar de velocidade.

O importante é estar atento ao comportamento do carro. Se ele pipocar, é sinal de que a marcha não está imprimindo força suficiente, devendo ser reduzida. Por outro lado, se o motor berra demais, é indicativo de que hora certa de trocar as marchas já passou.

A relação é sempre de equilíbrio. Marchas leves demais vão fazer o carro ratear ou mesmo morrer, que é quando o veículo simplesmente desliga por falta de força adequada.

Outro ponto importante é a intensidade com que se pisa no acelerador. Antes de colocar o carro em movimento, não se deve pisar demais, para evitar uma indesejada cantada de pneu.

Considerando todos esses fatores, a rotação mais adequada para a troca de marchas é aquela situada por volta das 2 mil rotações. O que não pode ser feito, de maneira nenhuma é a troca na região vermelha do conta giros.

Na falta do acessório, indica-se usar a primeira marcha apenas para sair, a segunda até 30 km/h, a terceira até 40 km/h, quarta até 60 km/h e daí por diante a quinta marcha.

Continuar a ler

Na Web

você pode gostar também

Comentários

Loading...