Estudar inglês no exterior ainda vale a pena?

Saiba se estudar inglês no exterior ainda vale a pena e veja dicas para fugir do aperto.

Pensando em estudar inglês no exterior esse ano? Muitas pessoas desanimaram ultimamente, por conta da alta cotação da moeda estrangeira. Quem juntava dinheiro desde o começo do ano passado se deparou com uma alta que quase fez dobrar o preço. E aí ficou a dúvida: será que vale a pena estudar inglês fora agora ou quando a poeira baixar? Existem destinos alternativos? E opções de trabalho?

Estudar inglês no exterior: o que muda com a alta do câmbio?

Quando o valor da moeda estrangeira aumenta, não só o custo de vida na cidade de destino que sofre oscilações. Todo o custo da viagem é afetado por isso, já que tem por base a moeda vigente no país. Descubra se ainda vale a pena estudar inglês no exterior e que opções você terá para escapar disso, se quiser mesmo o intercâmbio.

Como funciona o intercâmbio: veja como é a experiência de morar fora

O que é afetado, independentemente do destino

Tudo o que tem por base o dólar como cálculo vai sofrer alterações nos preços, independentemente de o destino ser Estados Unidos ou zona do Euro. Esses são os preços dos quais você não terá escapatória mesmo se não escolher esses países para estudar inglês:

  • Seguro-viagem
  • Passagem aérea

Trabalhe e estude

A opção mais viável para estudar inglês no exterior sem gastar uma fortuna é trabalhar. Mas é importante ressaltar que o trabalho não vai ser capaz de cobrir todas as despesas e vai funcionar como um complemento da renda. De toda forma, a notícia boa dessa história é receber em moeda estrangeira. Isso dispensa a dificuldade de juntar dinheiro e trocar a moeda numa época que não está muito favorável ao real.

6 destinos baratos e alternativos para intercâmbio 2016

Irlanda e Austrália

Os vistos de estudos em ambos os países dão ao aluno o direito de trabalhar em tempo parcial, desde que não afete o horário e a rotina das aulas, num máximo de 30 horas semanais. As oportunidades de trabalho na Austrália estão especialmente em cozinha, entregas e limpeza. Já na Irlanda, as vagas estão em limpeza, caixa e babá. Ambos os países têm remunerações mínimas por hora, que você vê abaixo.

País Remuneração
Irlanda 8,65 EUR/hora
Austrália AU$ 15,20

Estados Unidos  

Os programas de Au Pair têm como foco jovens solteiros e sem filhos, formados no ensino médio e até o máximo de 26 anos. É preciso ter habilitação e 300 horas comprovadas de experiência com crianças e nível de conhecimento intermediário de inglês.

Basicamente, o trabalho é tomar conta de uma ou mais crianças da família, agindo como um irmão mais velho. Atividades corriqueiras de arrumação da casa, como fazer a cama, lavar a louça e dar almoço também podem ser requisitadas. Ajudar com a lição de casa, brincar, levar e trazer da escola e levar para passear são cruciais. Sempre que a família viaja, o Au Pair vai junto.

  • O candidato faz a inscrição em uma agência de intercâmbio, pagando cerca de R$ 2.000 pelo agenciamento e ajuda a encontrar o trabalho. As agências mais populares são STB e CI. Depois, preenche fichas e aguarda a entrevista de uma família por Skype.
  • Se aprovado, a família paga as despesas de visto e deslocamento, paga um curso de idiomas ou um curso livre de algum hobby do candidato e oferece uma remuneração semanal ou mensal, que varia de acordo com o país. O Au Pair tem que ter disponibilidade para ficar um e, no máximo 2 anos no país.
  • Existem famílias que arcam com todas as despesas do Au Pair, incluindo higiene pessoal. A acomodação é na casa da família e o Au Pair tem, em geral, 2 fins de semana livres por mês. A seguir, veja os países disponíveis para estudar inglês no exterior e a remuneração semanal do Au Pair:
País Remuneração
Estados Unidos U$ 195/semana

Baixe o app grátis e fique de olho nas oportunidades de hospedagem no exterior

Estude em um país mais barato

Você já ouviu falar de Malta? Se não ouviu e pretende estudar inglês no exterior sem ter que trabalhar, é hora de ficar sabendo: é um país que oferece uma vastidão de cursos de inglês, poucos brasileiros (nós costumamos “atrapalhar” uns aos outros na fluência quando conversamos em português), um clima excelente e muitas opções de lazer em uma ilha europeia paradisíaca que fica perto da Sicília.

Em Malta, o maltês é o idioma oficial, mas 90% da população fala inglês, já que o país foi uma colônia inglesa até o fim dos anos 70. E eles têm bons preços de cursos para quem quer estudar inglês no exterior. Veja abaixo uma cotação com as melhores escolas e compare. A diferença é que, em Malta, por ser um país pequeno e mais estritamente turístico, existem poucas chances de conseguir um trabalho por lá.

Pós graduação no exterior: as melhores para quem quer empreender

LAL Gozo

  • 2% de brasileiros
  • 10 alunos por sala
  • 20 aulas semanais
  • 45min de duração
  • Preço do curso (2 semanas): R$ 1.283

Sprachcaffe St Julians

  • 10% de brasileiros
  • 10 alunos por sala
  • 20 aulas semanais
  • 45 min de duração
  • Preço do curso (2 semanas): R$ 1.563

Ace English Malta (Escola Boutique)

  • 3% de brasileiros
  • 10 alunos por sala
  • 20 aulas semanais
  • 45min de duração
  • Preço do curso (2 semanas): R$ 1.488

6 bolsas de estudos para os Estados Unidos em 2016

Espere a poeira baixar

A previsão que os economistas dão para que o Brasil comece a se reerguer e tire o PIB do negativo é em meados de 2017, e outros dizem que é só a partir de 2018 que a nossa crise chega ao fim. Isso significa que as moedas estrangeiras começarão a apresentar uma queda para níveis mais razoáveis.

Mesmo quem já tem mais do que o suficiente para viajar guardado pode se sentir mal na hora de colocar a mão no bolso e desembolsar muito mais do que planejou – ou do que seria aceitável. De uma forma ou de outra, quem quer estudar inglês no exterior e tem tempo para esperar uma melhora nesse sentido deve esperar que o real se valorize para fazer um investimento mais inteligente.

Continuar a ler

Na Web

você pode gostar também

Comentários

Loading...