Heloísa von Ah
Heloísa von Ah
11 dez, 2017 - 11:09
empregos no exterior para brasileiros

Empregos no exterior para brasileiros: como encontrar

Heloísa von Ah

Procura vagas de emprego no exterior para brasileiros? Veja por onde começar a buscar oportunidades para trabalhar fora do país.

O artigo continua após o anúncio

Conhecer outras culturas, buscar novos desafios, melhorar o currículo, turbinar a carreira, ganhar mais dinheiro e até mesmo aprimorar outra língua, fazem com que muitos brasileiros saiam do Brasil em busca de experiências profissionais em outro país. Está em busca de emprego no exterior para brasileiros? Veja por onde começar.

Emprego no exterior para brasileiros

Sim, e as opções são inúmeras, começando com algumas operadoras de intercâmbio que possuem diversos programas de trabalho e estudo, ou somente de emprego no exterior. Os destinos também variam. Incluem países da América do Sul e do Norte, como Argentina, Chile, Estados Unidos e Canadá. Mas não só.  Também incluem países europeus, do continente africano, Emirados Árabes Unidos e Austrália. Todas as oportunidades com o mesmo objetivo: otimizar a busca por emprego no exterior para brasileiros.

Por outro lado, existem também aqueles que procuram por um lugar ao sol através de programas governamentais no exterior direcionados a profissionais especializados ou simplesmente se arriscam em profissões que possuem mais vantagem por serem globalizadas, como chefes de cozinha, gestores de turismo, professores de ginástica, garçons, faxineiros, manicures, babás, engenheiros, dentre outras profissões. Mas para quem domina outras línguas, a procura por um emprego fora do Brasil pode ser bem mais fácil.

Iniciar com um programa de estudos, como por exemplo curso de idiomas, facilita muito a entrada no país e a possibilidade de conseguir um visto; posteriormente, arranjar um emprego no exterior e lá ficar permanentemente. Muitos países, mesmo com apenas o visto de estudante, aceitam que as pessoas trabalhem entre 20h e 40h semanais, podendo variar durante períodos de férias ou alta temporada.

Canadá

As vagas de emprego no exterior, principalmente no Canadá, podem ser mais fáceis de se conseguir que em outras localidades. Isso se aplica a algumas profissões como as relacionadas às áreas de Tecnologia da Informação (TI) e Engenharia. Existe também espaço para os adeptos de e-Sports, desde que dotados de conhecimento sobre softwares, hardwares e habilidosos em jogos eletrônicos. Fluência ou ao menos nível avançado em inglês ou francês é indispensável para concorrer a qualquer uma das vagas.

Outra opção é aplicar para uma das profissões requisitadas pelo governo canadense. Dependendo da sua área de atuação é possível conseguir um emprego com maior facilidade através da concessão de visto especial. Veja como funciona através do site da Imigração Canadense.

França

Para conseguir visto de trabalho na França é necessário apresentar um contrato de trabalho e outros documentos no Consulado. Os estudantes que estiverem em território francês podem trabalhar até 20h semanais. Basta que tenha um cartão de residência e esteja estudando em uma instituição que ofereça acesso a previdência social.

Agora, se você deseja aplicar a um trabalho na França, é importante conhecer quais são as áreas em que o país encontra maiores dificuldades para recrutar profissionais. Entre elas estão novamente aqueles do setor de TI, áreas da saúde, engenheiros, e também cozinheiros, cuidadores, empregados domésticos e outros. Portanto, seja para mão de obra especializada ou serviços sem qualificação, é possível conseguir uma vaga por lá.

O artigo continua após o anúncio

Nova Zelândia

O país aceita que estudantes inscritos em cursos que duram mais de 12 meses trabalhem integralmente. Esta é uma ótima oportunidade para conseguir um emprego no exterior, sem deixar os estudos de lado. Para cursos de menor duração, é necessário cumprir 20h semanais para trabalhar meio período (20h/semana).

Para o caso de profissionais onde suas habilidades sejam requisitadas no país, também há facilidades na obtenção de visto, bem como em encontrar um novo emprego. As áreas podem ser consultadas diretamente no site da Imigração Neo-Zelandesa. Alguns exemplos de áreas requisitadas são TI, engenharia, medicina, construção e outras.

Irlanda

Na Irlanda, os brasileiros foram beneficiados recentemente com uma nova regra aprovada pelo Governo do país em 2014. Agora, a Irlanda permite a concessão de visto de trabalho de estágio para estudantes. Ou seja, mais um país que oferece aos estudantes brasileiros a oportunidade de emprego no exterior. Mas para isso, é necessário ter uma oferta de trabalho da empresa, numa função relacionada ao curso que o candidato está estudando. A remuneração deve ser igual ou superior.

Se pretende, entretanto, conseguir um emprego por lá batalhando pela vaga sem o auxílio de um curso, é possível aplicar ao visto assim que uma proposta lhe for concedida. Você pode consultar os passos clicando aqui. Por lá também existe um programa de contratação para profissionais altamente qualificados em determinadas áreas de conhecimento, o que novamente inclui TI, engenharia, vendas, ciências sociais, professores e outros. A lista completa pode ser consultada aqui.

Trabalho voluntário no exterior

Para os brasileiros que buscam emprego no exterior, como uma experiência não remunerada, o trabalho voluntário além de enriquecer o currículo, é bem visto em todos os lugares do mundo. Trabalhar como voluntário pode “abrir portas” e ser uma aprendizagem única. E o melhor, não precisa estar inscrito em algum curso para exercer este tipo de trabalho.

Mas independentemente de qual o país escolhido, é necessário antes de mais nada pesquisar e conhecer a legislação do local. Ler sobre o clima, a cultura, o estilo de vida e o dia a dia das pessoas ajuda para diminuir o choque cultural que acontece naturalmente.

Estar decidido a “respirar novos ares” é saber que vai precisar ser mais flexível e tolerante. Tenha consciência das dificuldades que irá enfrentar e esteja com a mente aberta para o novo mundo. Qualquer experiência é válida, mas ter uma vivência fora do país pode ser engrandecedora e inesquecível!