Dívida de cartão de crédito pode ser cobrada judicialmente?

Você sabe se uma dívida de cartão de crédito pode ser cobrada judicialmente? Não? Então aprenda sobre isso agora neste artigo!

Começou a receber chamadas de cobrança por causada da dívida de cartão de crédito? Entenda neste artigo se ela pode ser cobrada judicialmente ou não.

Como saber se tenho dívidas em meu nome?

Dívida de cartão de crédito

No contexto de crise, infelizmente as dívidas começam a se acumular. O dinheiro fica mais curto e é preciso priorizar as contas a serem pagas. Uma das contas que acabam ficando por pagar, é a fatura do cartão de crédito, mas os juros e os credores não perdoam.

Embora a instituição financeira possa abrir cobrança judicial, em muitos casos não compensa, porque envolve muita burocracia, tempo e dinheiro. E muitas vezes, este processo de cobrança é prejudicial à própria instituição financeira. Por isso, as instituições preferem diversas opções de negociação, tentam parcelar a dívida, fazer acordos, tudo antes de entrar com uma ação judicial para dívida de cartão de crédito.

Caso você fique inadimplente por causa da fatura do cartão, é possível que comece a receber cobranças por email ou chamadas telefônicas. Geralmente, estas cobranças são feitas por terceiros e não pelo banco. Uma prática muito comum hoje em dia, é que o banco repasse as dívidas, sobretudo as pequenas, para escritórios de cobrança, que tentam negociar o pagamento com os clientes.

Quando um escritório de cobrança consegue negociar uma dívida, ele divide o pagamento com a instituição, que em alguns casos já nem contava receber a dívida.

Veja o que fazer se receber uma cobrança indevida do cartão de crédito 

Cobrança de dívida de cartão de crédito judicialmente

O processo judicial de cobrança de dívida, se inicia com a instituição financeira entrando com uma ação de cobrança na justiça. Esta tramitação pode levar anos para ser analisada, e ao ser avaliada por um juiz pode ser considerada abusiva por causa dos juros, que podem ser deduzidos do valor da dívida.

Após a ação de cobrança na justiça ser avaliada, caso a instituição financeira vença a o processo, e mesmo assim continue sem receber, poderá ser iniciado um pedido para execução da dívida e penhora de bens.

Mesmo assim é importante ressaltar que bens protegidos pela lei da impenhorabilidade, feita para proteger o patrimônio dos devedores, não podem entrar na lista de penhora.

Os bens que não podem ser penhorados no caso de dívida de cartão de crédito cobrada judicialmente são:

  • Imóvel único (caso você possua mais de um imóvel próprio um deles poderá ser penhorado).
  • Móveis e objetos de utilidade doméstica.
  • Roupas e pertences pessoais.
  • Salários, rendimentos relacionados a investimentos para aposentadoria e pensões.
  • Livros, máquinas, ferramentas, utensílios, ou qualquer outro bem necessário para exercício de profissão.
  • Seguro de vida.
  • Depósitos na poupança no valor de até 10 salários mínimos.

Qual o prazo para prescrição de dívidas?

A solução é simples: negociar!

A melhor saída para quem tem uma dívida como essa é negociar com o credor. Entenda, eles são os maiores interessados na quitação dela. Com certeza uma conversa franca e com cálculos bem feitos previamente por você, será possível encontrar uma solução para esse problema. Coloque em um papel quanto você realmente pode pagar e chegue com números na negociação.

Depois, pague seu débito. Cumpra com a negociação e mantenha sempre em sua planilha financeira todos os gastos anotados. Ter uma dívida protestada na justiça pode e vai te causar grandes dores de cabeça, restrição de crédito e ligações importunas. Além disso, você pode precisar de um advogado e ter mais gastos ainda.

Tenha controle sobre o seu dinheiro e tenha uma vida financeira saudável. Isso te garantirá uma vida mais plena e fácil, com certeza.

Continuar a ler

Na Web

você pode gostar também

Comentários

Loading...