Você sabe como declarar poupança no Imposto de Renda? Aprenda agora!

Acertar as contas com o leão não precisa ser um pesadelo. Veja aqui o passo a passo de como declarar poupança no Imposto de Renda.

A Receita Federal é a responsável por decidir e informar as principais informações sobre o Imposto de Renda da Pessoa Física. Rendimentos, ganhos de capital, juros e outras rendas ou proventos estão sujeitos à tributação. Por isso, declarar poupança no Imposto de Renda é obrigatório e muito importante.

O processo de declarar o Imposto de Renda tem se tornado mais simples, fácil e intuitivo, e a expectativa para 2018 é que o usuário tenha ainda mais facilidades. Mas tome cuidado, um erro pequeno pode acabar gerando uma grande confusão e fazer você cair na malha fina.

Primeira declaração do Imposto de Renda: tudo o que é preciso saber

Declaração de Poupança

Se você possui algum dinheiro guardado na poupança se atente na hora de acertar as contas com o leão. Saiba aqui como declarar poupança no Imposto de Renda.

Declarar a poupança no Imposto de Renda 2018 é um procedimento relativamente simples. O saldo da caderneta deve ser declarado na sessão de “Bens e Direitos”, já que o investimento é considerado um bem pela Receita Federal.

Já os rendimentos que são obtidos pela poupança devem ser declarados na ficha de “Rendimentos Isentos e Não Tributáveis”. É essencial que você saiba que os rendimentos obtidos com a poupança são sempre isentos do IR, independente do motivo – como se foi recebido devido a decisão judicial que determinou a correção dos valores depositados por índice diferente do fixado para a aplicação.

Passo a passo

O primeiro passo para declarar poupança no Imposto de Renda é informar o saldo dela na ficha de “Bens e Direitos”, já que o investimento é considerado um bem pela Receita Federal.

Ao abrir o programa da receita, entre na ficha “Bens e Direitos”e selecione o código “41- Caderneta de Poupança”. No campo “Discriminação”indique o nome e CNPJ da instituição financeira, o número da conta (se for conta conjunta sera necessário colocar nome e CPF do outro titular).

Depois, você deve declarar os rendimentos obtidos com o investimento na ficha de “Rendimentos Isentos e Não Tributáveis”. Isso deve ser feito na ficha de “Bens e Direitos” da declaração e selecione o código “41 – Caderneta de poupança”. No campo “Discriminação” indique o nome e CNPJ do banco ou instituição financeira, o número da conta e, caso ela seja conjunta, o nome e o CPF do outro titular.

Agora é hora de prestar atenção: se a sua poupança tem mais de dois anos, na parte “Situação em 31/12/2017”, declare o saldo desta data. Mas, se começou no ano passado, deixe o campo em branco. Na “Situação em 31/12/2017” informe a quantia que estava depositada na poupança nesse dia.

Pode parecer difícil declarar o seu Imposto de Renda, mas não é. Fique calmo, separe um tempo generoso para isso e antes de preencher qualquer área do programa de declaração, separe tudo o que ocorreu de importante na sua vida financeira em 2017.

Seja uma troca de automóvel, imóvel, resgate de previdência privada, informes de rendimentos da empresa, do banco, enfim, tudo o que vai ser comunicado e vá em frente.

O que fazer se cair na malha fina?

Fuja da poupança

Tudo bem, agora você já aprendeu a declarar poupança no Imposto de Renda e vai fazer de forma correta, mas nós indicamos que você aproveite este ano para fazer o seu dinheiro render tirando ele da poupança e colocando em outras aplicações.

Além de não render diariamente, como a maioria dos investimentos, a poupança não protege seu dinheiro contra a inflação, ou seja, não gera um rendimento efetivo. Seu rendimento atual é de apenas 8,4% ao ano, bem abaixo dos juros de 13,75% ao ano, que balizam os investimentos de renda fixa do mercado.

 

Continuar a ler

Na Web

você pode gostar também

Comentários

Loading...