Imposto de Renda 2018: declaração completa ou simplificada?

Chegou a época de declarar o Imposto de Renda. Não fique com dúvidas, veja aqui se vale a pena fazer a declaração completa ou simplificada.

Está em dúvida se deve fazer a declaração completa ou simplificada no Imposto de Renda 2018? Entenda a diferença e saiba qual é a melhor opção para você.

A escolha do modelo depende basicamente do tamanho de despesas que você possui e são dedutíveis do Imposto de Renda. Se você tem filhos, paga escola, plano de saúde, entre outras coisas, é provável que a declaração completa seja a mais indicada. Mas, já para quem tem poucas despesas dedutíveis, o modelo simplificado passa a ser melhor. 

Veja aqui como fazer esse procedimento e declare seu imposto de renda sem erros.

Primeira declaração do imposto de renda: tudo o que é preciso fazer

Tabela IRPF 2018

A tabela do Imposto de Renda informa quais são as alíquotas incidentes sobre cada contribuinte de acordo com a sua faixa de renda. Os valores são atualizados anualmente, portanto é importante ficar atento aos reajustes para não errar na hora de declarar o IRPF 2018.

 Com base na tabela, para quem recebe mensalmente:

  • Até R$ 1.999,18 está isento
  • Entre R$ 1.999,18 e R$ 2.967,98 a alíquota será de 7,5% sobre seu rendimento, uma parcela de R$ 149,94 a deduzir;
  • Entre R$ 2.967,98 e R$ 3.938,60 a alíquota será de 15% sobre seu rendimento, uma parcela de R$ 372,54 a deduzir;
  • Entre R$ 3.938,60 e R$ 4.897,91 a alíquota será de 22,5% sobre seu rendimento, uma parcela de R$ 667,94 a deduzir;
  • Mais de R$ 4.897,91 a alíquota será de 27,5% sobre seu rendimento, uma parcela de R$ 912,83 a deduzir.

Modelo simplificado

Para quem não tem muitas despesas para deduzir, o modelo simplificado é o mais indicado. Ele utiliza um abatimento padrão de 20% sobre a soma de todos os rendimentos tributáveis que você recebeu ao longo do ano (limitado a R$ 16.754,34).

Qualquer contribuinte pode optar por ele, independentemente do tamanho da renda total. Mas como o desconto é padrão, pode não ser uma boa escolha para algumas pessoas.

É importante informar todo o imposto recolhido no ano anterior, seja pela retenção em fonte, ou por recolhimento obrigatório mensal. Eles serão descontados do cálculo final do Imposto Renda a ser pago.

Modelo completo

Já a declaração completa é mais indicada para quem tem muitas despesas a deduzir do ano anterior. Nela é necessário informar todos os gastos e rendimentos ocorridos no ano e guardar os comprovantes por, no mínimo, cinco anos.

Diferente do modelo simplificado, não há o limite de R$ 16.754,34, mas existem limites individuais de acordo com a categoria da despesa:

  • Dependentes: limite de R$ 2.388,84 por dependente;
  • Despesas médicas: podem ser deduzidas integralmente;
  • Despesas com educação: limite individual de R$ 3.561 ao ano;
  • Plano previdência privada: sendo do tipo PGBL pode ser abatido até o limite de 12% da renda;
  • Recolhimento INSS de empregado doméstico: limite de R$ 1.093,77;
  • Pensão judicial: todo valor estabelecido pela justiça

Quanto é possível deduzir no imposto de renda?

Programa 

Agora, caso você continue com dúvidas, o programa da Receita Federal também te ajuda a escolher a melhor opção. É um procedimento mais demorado, mas bem preciso.

Basta preencher toda a declaração detalhando todos os gastos dedutíveis. O programa gerador tem um quadro comparativo dos dois modelos de declaração no canto inferior esquerdo da tela, nele mostra qual o valor de imposto a ser restituído ou a pagar caso opte pela declaração completa ou simplificada.

Acerte as contas com o leão e seja sempre organizado financeiramente, isso certamente te proporcionará uma vida melhor e mais tranquila. 

Um dos grandes benefícios do Programa do Imposto de Renda é que ele observa os limites legais das deduções e apura automaticamente o imposto a pagar ou a restituir, ajudando assim o contribuinte a definir qual a melhor opção de declaração, completa ou simplificada.

Na Web

você pode gostar também