Os principais cuidados antes de aceitar um trabalho no exterior

Não são raras as histórias de quem recebeu uma promessa de emprego no exterior e acabou em maus lençóis. Saiba identificar os sinais de alerta nesses casos.

 

Muitos brasileiros, com o sonho de uma vida melhor e mais tranquila, procuram emprego no exterior. Parece perfeito: um ótimo salário, trabalho legalizado,
contrato, tudo como manda o protocolo. Mas, em alguns casos, o conto de fadas vira filme de terror e daqueles bem assustadores. Por isso, antes de aceitar
aquela proposta irrecusável, todo cuidado é pouco. Uma boa investigação e o famoso pé atrás podem evitar problemas.

 

Claro que nem todas as boas ofertas de emprego no exterior são enganosas. Existem mesmo vagas com salários melhores que no Brasil e isso não é novidade. 

 

Porém, tantas outras são fachadas para esconder a ação de quadrilhas relacionadas ao tráfico de pessoas, por exemplo. Muitos são os casos de quem emigrou
achando que trabalharia como garçonete, camareira ou secretária e acabou sendo vítima de exploração sexual.

 

Cuidados básicos

 

  • A empresa e o contrato 

 

É preciso analisar todos as características da empresa contratante. Sempre é bom ouvir recomendações de pessoas confiáveis. Além disso, é interessante avaliar se proposta tem um prazo definido para terminar – e por quanto tempo pode ser prorrogada – ou se a data de retorno ao país de origem está em aberto. 

 

 

  • Vale a pena?

 

O salário oferecido para expatriados, geralmente, tende a ser equivalente ao pago para executivos do país de destino, se o local for desenvolvido. Em países mais pobres ou em situação de conflito, o pacote tende a ser mais atraente. Fique de olho na proposta salárial, e veja se é compatível com o mercado de trabalho, porque propostas muito elevadas podem ser sinal de alguma irregularidade. 

 

 

  • Cultura e estilo de vida

 

 

Antes da decisão e da partida, procure conhecer os aspectos de mercado, políticos, sociais, religiosos e de costumes  do local. Estes fatores podem ser determinantes no sucesso da sua jornada internacional. 

 

Faça o cadastro no Hintigo e receba informações diárias e gratuitas sobre oportunidades no exterior.

Empregos para se ter cuidado

1- Modelo

O mercado de moda é dinâmico, competitivo e feroz. Todos os candidatos a modelo sabem que a carreira é relativamente curta, têm de fazer e acontecer em
pouco tempo. Aceitar um emprego no exterior é a chance de ganharem fama internacional, objetivo de muitos que seguem na área. Aproveitando-se dessa sede
para atingir o topo, surgem os fraudadores. Inventam agências, falsificam contratos e seduzem os modelos. Muitos assinam contratos sem ler bem e confiam em
cada palavra do que foi dito. Acabam por trabalhar em discotecas, obrigados a prostituírem-se e a viverem em condições inóspitas.

Para não cair nessa, o ideal é pesquisar a vida pregressa de quem estar a fazer oferta, qual o histórico da agência. Também é importante ler bem o contrato
e certificar-se de que há a identificação completa dos contratantes. E nunca, nunca mesmo confie os seus documentos a outra pessoa.

2- Jogadores de futebol

Tal como os modelos, os jogadores de futebol têm de driblar uma concorrência quase surreal. Os salários milionários são para poucos e a grande maioria
deles não está no Brasil. Por isso, uma oferta de emprego no exterior soa tão bem e parece ser sinal de sucesso. Em muitos casos o que acontece é
justamente o contrário. Jovens dos 18 aos 20 anos mudam-se para países longínquos, às vezes até desconhecem a língua lá falada e descobrem que o contrato
com o time famoso simplesmente não existe. Sem contrato ou visto que valide a estadia, tornam-se imigrantes ilegais à margem da lei.

 

Antes de sair do país, certifique-se da legalidade do contrato e da proposta oferecidos. Se estiver em outro idioma, procure ajuda para a tradução. O ideal
é deixar uma cópia com familiares para qualquer eventualidade. Além disso, mantenha-os sempre informados sobre os seus passos, endereço. O contacto
constante com família e amigos é a principal forma de dar a conhecer se algo sair errado.

3 e 4- Babás e empregadas domésticas

Muitas mulheres de classe média a baixa vão embora do país com a esperança de poderem ter bons salários para ajudarem a família. Este é um grande nicho das
quadrilhas de tráfico de pessoas. Oferecem emprego no exterior como babás e/ou empregadas domésticas com excelentes condições e salários. Por trás disso,
um esquema de exploração, com as mulheres sendo encaminhadas para casas de prostituição ou a trabalharem de graça. Os traficantes apreendem passaportes e
outros documentos de identificação para dificultar fugas.

Desconfie sempre de ofertas boas demais para serem verdade. Nunca é demais investigar a empresa envolvida na seleção e as informações repassadas por eles.
Nem pensar em sair do país apenas com promessas. Só vá com a documentação tratada e com os devidos esclarecimentos sobre o trabalho a fazer. Peça
endereços, telefones, nomes e cheque se são reais.

5- Cozinheiros

Oportunidade de fazer sucesso lá fora com a comida? Sim, é possível, mas não da forma milagrosa que algumas ofertas de emprego no exterior anunciam. São
oferecidas vagas a cozinheiros, mesmo sem experiência, com condições inacreditavelmente boas e ainda a chance de trabalharem em grandes restaurantes. No
fim, os que acreditam na proposta trabalham horas a fio sem direito a folgas e até mesmo sem salários. Ficam presos a contratos absurdos que assinaram sem
conhecimento total do que queria dizer.

A primeira forma de se precaver é, tal como nos outros casos, desconfiar e investigar a empresa que oferece o contrato. Nunca assine nada antes de ter a
certeza do que quer dizer e tenha sempre testemunhas para o efeito. É complicado saber exatamente o que te espera antes de ver com os próprios olhos, mas
tente cercar-se de garantias sobre a sua vida e trabalho no país de destino.

 


Veja também:

Continuar a ler

Na Web

você pode gostar também

Comentários

Loading...