Como negociar um carro: 7 dicas infalíveis para baixar o preço

Entenda como negociar um carro, adotando uma postura mais fria, racional e baseando sua decisão em números e dados concretos. Deixe a emoção para depois!

Embora a compra de um veículo seja um passo importante em termos de aquisição de um patrimônio, há quem trate da questão de forma displicente. Não saber como negociar um carro antes de fechar compra é um erro grave, que pode custar caro e trazer muita decepção e dor de cabeça.

Felizmente, com algumas técnicas simples de negociação, paciência e, claro, muita informação, é possível conseguir as melhores condições.

Acompanhe em 7 dicas como negociar um carro e saia em vantagem na hora de adquirir seu veículo.

Como renegociar uma dívida de carro

Nunca embarque na primeira oferta

Se tem um componente fundamental para garantir uma boa negociação é a paciência. Comprador afoito tem 99,9% de chances de se arrepender depois de ver que não soube como negociar um carro.

Na ânsia de estar logo motorizado, sua percepção sobre o que é ou não um bom negócio pode ser prejudicada. Há vendedores que sabem disso, e se aproveitam forjando ofertas que não passam por uma avaliação mais criteriosa. Evite isso: quanto mais concessionárias visitar, mais ofertas você vai ver.

Tenha sempre uma segunda opinião

Para evitar a afobação e o fechamento prematuro de um negócio, ajuda bastante contar com uma segunda, e até terceira opinião. Pode ser a esposa, o marido, os pais ou um amigo, embora seja mais recomendável que seja alguém que entenda de veículos.

Como comprar carro usado e fazer um bom negócio

Escutando uma opinião diferente, você terá a chance de reavaliar por um outro ponto de vista suas próprias considerações, o que dá mais subsídios para que a tomada de decisão contemple os pontos positivos e negativos. Mais ou menos na base daquele ditado “duas cabeças pensam melhor do que uma”.

Mostre-se firme com os vendedores

Nem todo vendedor vai respeitar o seu nível de conhecimento sobre veículos ou mesmo será transparente em relação aos seus produtos.

Alguns deles, quando percebem que você está tomado pela indecisão, aproveitam-se para empurrar carros que não têm a ver com seu perfil, sob a justificativa de que está em promoção, que você vai gostar e outras mais emocionais do que técnicas.

Evite a indecisão, se tiver dúvidas, procure saber sobre dados concretos, tais como taxa de depreciação, consumo de combustível, custo de manutenção e valores dos pacotes de opcionais.

Eis alguns dados muito importantes que você precisa saber sobre um carro antes de comprar:

  • Consumo de combustível (Referência: Inmetro): o quanto o carro bebe de etanol ou gasolina para percorrer um quilômetro;
  • Depreciação sofrida (Referência: Selo Maior Valor de Revenda): qual o percentual do seu valor que ele perde após um ano;
  • Custo de manutenção (Referência: Índice Cesvi): abrangência da rede de assistência técnica, se é fácil encontrar peças e o custo de reparabilidade;
  • Valor do seguro (Referência: pesquisas junto às seguradoras): para quem mora nas capitais, ficar sem seguro é um tiro no pé. Procure por modelos que sejam menos visados por criminosos e dê preferência por instalar dispositivos de localização por GPS, travas e alarmes;
  • Quilometragem x estado dos pneus e interior: cuidado com os números nos hodômetros, eles podem estar adulterados. Compare a quilometragem com o estado dos pneus e do interior do veículo. Pneus carecas e interior com bancos poídos, carpetes desgastados e forros manchados podem indicar que o carro é mais rodado do que está marcando.

Se possível, compre veículos completos

Todo motorista que já comprou um veículo e sabe como negociar um carro já percebeu que, quanto mais completo ele sair da concessionária, maiores as chances de conseguir valores mais altos ao revendê-lo.

Levando em conta a depreciação sofrida, que atinge os modelos independentemente de quantos opcionais tenha, a solução para minimizar a desvalorização é adquirir um carro mais completo possível. Quem sabe você até não leve um alarme de brinde?

Os carros que mais desvalorizam no primeiro ano de uso

Atenção aos juros das financeiras!

Um erro comum ao comprar carro parcelado e que pode gerar uma grande decepção futura é ignorar que as taxas de juros variam de uma financeira para outra. Normalmente, as concessionárias trabalham com uma ou duas instituições, no máximo.

Sabendo disso, para evitar pagar mais pelo mesmo veículo, procure visitar mais de uma concessionária, para garantir que você fará uma compra com uma financeira que cobre juros mais suaves.

Compare as promoções

Se você quer realmente pagar menos, fique atento aos preços praticados em períodos promocionais. Geralmente é no início do ano ou quando começa o mês que as concessionárias oferecem condições facilitadas, isenção de taxas ou impostos ou mesmo opcionais a custo reduzido (ou zero).

Veja se uma dessas promoções atende à sua procura, e se ainda parece pouco atraente, prefira ir à concessionária fora do período promocional, para negociar com uma margem maior. Afinal, se já estiver em promoção, como fazer para conseguir condições melhores?

Procure saber se a concessionária cobre a concorrência

Há concessionárias que trabalham com preços tabelados e que não reajustam preços com base no que a concorrência está pedindo.

Por isso, ao fazer sua pesquisa, registre os valores em diferentes concessionárias para os mesmos modelos, e, se verificar a chance de conseguir um preço melhor com base na concorrência, não hesite em usar este argumento.

Continuar a ler

Na Web

você pode gostar também

Comentários

Loading...