Operadoras querem acabar com as chamadas gratuitas do Whatsapp

O sucesso do aplicativo Whatsapp incomoda as operadoras de telefonia móvel do Brasil e do mundo. Confira os detalhes:

Mais um aplicativo de sucesso no Brasil (e no mundo) está na mira dos órgãos governamentais. Após as acusações contra o Netflix e Uber, chegou a vez do Whatsapp. As principais operadoras móveis do país planejam entregar um documento com informações econômicas e jurídicas contra o funcionamento do aplicativo.

As operadoras bem que tentaram

Apesar dos novos planos de telefonia móvel incluírem no seu pacote acessos gratuitos ao Whatsapp (sem gasto de dados), os consumidores estão, cada vez mais, aderindo às chamadas realizadas através do aplicativo. É este o principal motivo que faz com que estas empresas entrem com uma ação judicial.

Por que o Whatsapp?

Diferente do Skype, que também realiza chamadas de voz (e vídeo) via internet, o Whatsapp está atrelado a um número telefônico. E a partir desse pormenor, que as operadoras desejam que a ANATEL, agência nacional responsável pelos serviços de telecomunicações no Brasil, regulamente o funcionamento do serviço de voz.

Você sabia?

Todas as operadoras de telefonia móvel pagam R$ 26,00 por cada linha ativada e R$ 13,00 por ano a título de taxação para funcionamento. Uma espécie de imposto pago aos Fistel – Fundo de Fiscalização das Telecomunicações. No atual cenário, o Whatsapp é isento dessas taxas.

Como fica

Apesar de ainda não existir esse documento oficial e a ação judicial, o Ministro das Comunicações, Ricardo Bezoini, apoia esta regulamentação, não só do aplicativo mas também do Netflix (que já ultrapassou o faturamento de dois canais brasileiros: Rede Bandeirantes e Rede TV). 

Continuar a ler

Na Web

você pode gostar também

Comentários

Loading...