Heloísa von Ah
Heloísa von Ah
20 out, 2017 - 13:49
casamento sem festa

Casamento sem festa: 6 alternativas para celebrar o grande dia

Heloísa von Ah

Seja por economia ou ousadia, confira algumas dicas de como fazer um casamento sem festa, mas sem perder o romantismo desta data memorável.

O artigo continua após o anúncio

Optar por um casamento sem festa não é problema e chega a ser mais comum do que você pensa. Apenas lembre-se que é preciso dizer no convite (se for o caso dos impressos) que os noivos receberão os comprimentos no salão/igreja/cartório etc e tal. Isso já deixa claro que será um casamento sem festa.

Apesar de o dia do casamento dizer respeito aos noivos e ninguém mais, pode ser inviável fazer um casamento sem festa para 300 pessoas, por exemplo. Vai ter muito mais a ver com o casal e com a proposta pós-cerimônia optar por algo como um mini-wedding, comportando entre 50 e 100 convidados. E mesmo com poucas pessoas, cuidado com as gafes. Abaixo, listamos algumas ideias que satisfazem o bolso e as lembranças.

Casamento sem festa não é motivo para não passar em branco!

Se a grana está curta ou você não quer investir em um casamento com festa, há alternatvas para tornar o dia uma data mais que especial e inesquecível, apenas com aquelas pessoas mais íntimas. Inspire-se:

1. Chá bar/de panela/lingerie

Essa é uma maneira de reunir todos os amigos, sem gastar muito, mas sem perder o foco do casamento. A grana está curta, vai ser um casamento sem festa, mas não abre mão da diversão? Fazer um chá de qualquer coisa pode ser uma boa ideia. Os presentes serão a grande brincadeira; no final do dia, riu muito e gastou pouco.

  • Exigências: um lugar reservado, de preferência com um bom espaço a disposição e uma boa conexão de internet para baixar as músicas que irão animar a reunião. Um karaoke pode deixar tudo ainda mais divertido.
  • Custo: snacks e bebidas (quantidade de acordo com quantidade de amigos). Um bolo especial também pode ser reservado para essa ocasião.
  • Por que vale à pena: rende ótimas risadas e presentes (presentes baratos, viu? Não é porque não vai ter festa, que no chá de qualquer coisa pode-se pedir presentes caros).

2. Uma pequena recepção ao final da cerimônia

Mesmo em um casamento sem festa, um bolo com champagne ao final da cerimônia pode ser uma saída elegante para quem não quer ou não pode gastar muito dinheiro. Em um espaço sem mesas ou cadeiras – fora do estilo salão – vale a dica para promover uma bancada com finger foods em um estilo café da manhã ou lanche da tarde. Fugir dos horários padrões de almoço e janta pode ser uma boa estratégia para essa alternativa.

Se não quiser abrir mão de lembrancinhas aos convidados, a distribuição de bem-casados também é uma ideia válida.

  • Exigências: espaço minimalista que permita a reunião de determinado número de convidados e um breve lanche enquanto tiram fotos, cortam o bolo e brindam.
  • Custos: o custo dos alimentos servidos e do champagne, bem-casados ou o que quer se seja da sua preferência. Lembre-se de usar o cálculo padrão: a quantidade de doces/lembrancinhas deve ser 10% superior que o número de convidados.
  • Por que vale à pena: uma comemoração rápida, elegante e de baixo custo.

3. Almoço/jantar íntimo

Será uma cerimônia no templo religioso de sua preferência, mas um casamento sem festa, certo? Um jantar íntimo, oferecido pelos noivos, pode ser uma boa pedida para continuar a celebração. Mas alguns cuidados devem ser tomados. Todos os que estarão presentes na cerimônia serão convidados para essa extensão? Se não, a melhor saída é avisar sobre ela antes e pessoalmente, quando for falar do casamento. Pode-se gerar um momento um pouco constrangedor com quem não for convidado se essa notícia se espalhar no dia.

  • Exigências: a escolha do menu deve agradar a todos. A organização também é importante, afinal, ou alguém fica cozinhando a refeição e, quando os convidados chegarem já está tudo pronto, ou os noivos mesmos devem ir para a cozinha depois da cerimônia e preparar tudo.
  • Custos: esse aqui pode variar muito de acordo com os pratos escolhidos. Pode ser um pato com molho de laranjas e salada com redução de balsâmico e um bom vinho para acompanhar, ou um churrasco com umas cervejas. Varia de quanto cada um pode e quer gastar.
  • Por que vale à pena: é uma maneria de reunir as pessoas mais próximas e até mesmo juntar as duas famílias que agora, por meio desse casamento, mesmo sendo um casamento sem festa, são uma só.

7 lugares criativos para casar com pouco dinheiro

O artigo continua após o anúncio

4. Celebração em restaurantes

Casamento sem festa, mas com celebração em um restaurante de sua preferência é uma ótima ideia, e já é relativamente famosa no Brasil. Mas, os mesmos cuidados do item 3 devem ser tomados aqui. Além disso, é importante estipular as regras sobre o pagamento. Cada um vai pagar a sua parte? Sim? Então deixe bem claro e de maneira educada, naturalmente, que não é um jantar oferecido pelos noivos. Mas evite discussões constrangedoras sobre o pagamento da conta. Se houver alguma diferença, arque com os custos.

  • Exigências: um restaurante próximo ao local em que a cerimônia foi realizada e, caso haja uma diferença significativa no poder aquisitivo dos convidados, que não seja um muito caro.
  • Custos: varia muito conforme os convidados (se for no caso de cada um pagar a sua parte) e com o dinheiro disponível dos noivos (se forem eles a arcar com os custos da refeição).
  • Porque vale à pena: Poupa o trabalho que um jantar em casa e traz, basicamente, as mesmas vantagens do mesmo.

5. Luau

Essa alternativa de casamento sem festa é quase um meio-termo. Até porque, é uma festa sim, mas uma bem mais barata. Se houver possibilidade de estender a celebração até a praia (se for o caso), um luau pode ser uma boa ideia, mas com os alguns inconvenientes (areia nas roupas dos convidados, por exemplo). É uma saída mais indicada para pessoas mais novas, e com convidados na mesma faixa etária. Só atenção para a previsão do tempo. Se chover, o luau vai, literalmente, por água abaixo.

  • Exigências: deslocamento possível até a praia e uma provisão de comes e bebes devidamente armazenados no carro. Um amigo que saiba tocar violão também é bem-vindo.
  • Custos: mais uma vez, pode variar muito, dependendo do que será servido. Se cada convidado tiver que levar sua colaboração, avise antes.
  • Porque vale à pena: é uma festa, mas que exige pouco trabalho de organização.

6. comemoração em boate

Essa é mais aconselhada aos baladeiros de plantão. Se o casamento acontecer em uma sexta-feira ou num sábado, em uma cidade grande o que não faltam são casas de show lotadas de possibilidade de entretenimento. A noite pode ser bem divertida e uma noiva de vestido e tudo dançando a sua valsa ao ritmo de música eletrônica. Pode ser uma saída moderna, indicada especialmente para aqueles que até querem uma festa, mas uma não tão convencional. Os cuidados do item 4 devem ser tomados aqui também.

  • Exigências: paciência com lugares cheios, música alta e um desapego ao famoso vestido de noiva (se for usado na cerimônia). Ele sofrerá diversos danos.
  • Custos: mais uma vez, este pode variar muito. Assim como a comemoração na boate pode ser feita fechando um camarote e recebendo tratamento vip, pode ser apenas aproveitando o espaço de dança sem camarote, bebida que acende ou nada do tipo. Mas é importante ter em mente que bebidas em boates costumam ser superinflacionadas.
  • Porque vale à pena: adentrar uma pista de dança com um vestido de noiva é, no mínimo, inusitado e pode ser bastante divertido e diferente. Também tira um pouco a obrigação dos noivos de ficar se dividindo em mil e dando atenção a todos os convidados, fora que todo o estresse ligado à organização da festa desaparece. A festa já está pronta, vocês só vão lá curtir.
Compartilhar Twittar Pin Email WhatsApp