Os 5 melhores carros japoneses

Conheça cinco dos melhores carros japoneses do Brasil e do mundo, suas características, vantagens e desvantagens de adquirir carros de origem nipônica

Os carros japoneses são conhecidos mundialmente pela rapidez nas respostas, pouca exigência de manutenção e excelente custo benefício. Não é por acaso que o carro mais vendido do mundo vem de lá. O Toyota Corolla foi o primeiro carro da história a atingir a marca de mais de um milhão de unidades vendidas mundialmente.

Os melhores carros japoneses

Não é apenas o célebre sedã que pode ser apontado como um dos melhores modelos produzidos por montadoras japonesas. Felizmente, montadoras como Nissan, Honda, Mitsubishi e outras nos brindam com carros de muita qualidade. E não são apenas os tops de linha, carro japonês é bom desde as versões de entrada.

Sendo assim, uma lista com os melhores veículos da Terra do Sol Nascente não poderia começar com outro modelo que não fosse o recordista mundial.

Toyota Corolla

O Corolla já vendeu mais de 39 milhões de unidades desde que começou a ser fabricado, em 1966. Tal marca o torna destaque absoluto numa lista dos melhores carros japoneses.

O Corolla tem muitas qualidades, mas certamente a que mais chama a atenção é o seu baixo consumo de combustível. O sedã está na lista dos sedãs grandes mais econômicos do Brasil, ao lado de modelos japoneses como o Civic e o Subaru Forester.

Honda Civic

Atualmente na décima geração, o sedã (para alguns agora hatchback) produzido desde 1973 pela Honda tem uma legião fiel de fãs.  A partir da quinta geração é que o Civic ganhou a “cara” que tem hoje, embora o motor 1.3 só fosse abandonado a partir da sexta.

O Civic automático é um dos poucos modelos do mercado que contam com câmbio CVT de 7 marchas. Ao lado do Corolla, é um dos sedãs médios com menor depreciação, acumulando perda de 12,2% em um ano, segundo a agência Autoinforme.

Toyota Prius

É verdade que aqui no Brasil o Prius ainda é considerado um carro exótico. Nem tanto por ser um dos poucos híbridos do mercado, mas pelo seu design no mínimo sui generis.

No entanto, uma análise despida de preconceitos deixa o híbrido da Toyota em uma posição muito boa.

São poucos os carros que podem ostentar o selo de “carro amigo da natureza”, como é o caso do Prius. É reconhecido até no exigente mercado norte americano como um veículo limpo e não agressivo ao meio ambiente. Seu motor movido a Gasolina e a eletricidade é também super econômico.

Afinal, nenhum outro sedã médio com 98 cv de potência faz 18,9 km/l de Gasolina na cidade. No quesito consumo, o Prius é o número um entre os melhores carros japoneses.

Honda HR-V

Campeão no quesito baixa depreciação, o esportivo utilitário da Honda é o número um em vendas na categoria. O HR-V supera os ótimos Jeep Compass e Jeep Renegade num segmento que vem registrando crescimento mundial.

Além de perder apenas 4,5% do valor de mercado após um ano, segundo a agência Autoinforme, o HR-V tem outras qualidades. No comparativo com seu concorrente mais direto, o Renegade 1.8, o HR-V vence com larga vantagem no tamanho do porta malas (437 contra míseros 260 litros) e na economia de combustível na estrada.

Honda Fit

Já que o assunto é carro mais vendido no segmento, é justo citar o monovolume mais vendido do Brasil. Embora haja quem o enquadre como hatch, a classificação em si não tira os méritos desse bom carro.

Um dos pontos altos do Honda Fit é a sua baixa depreciação. Assim como a maior parte dos melhores carros japoneses, perder pouco valor é uma de suas características. Depois de um ano, o Fit desvaloriza apenas 10,5%, segundo o Selo Maior Valor de Revenda da agência Autoinforme.

Carros japoneses: vantagens x desvantagens

Enumerar as vantagens dos carros japoneses não é difícil. Baixa depreciação, manutenção pouco exigente, pós venda que responde bem e durabilidade são as principais características.

As desvantagens ficam por conta de fatores como o consumo de combustível elevado em modelos como o HR-V, principalmente o urbano, e do Honda Fit. Também pesa negativamente a elevada quantidade de recalls da Honda. Em 2016 só perdeu para a GM em número de chamadas em todo o mundo.

Em 2015, foram mais de 400 mil veículos chamados no Brasil. Ano passado, mais de 325 mil modelos tiveram que voltar às concessionárias por causa de falhas nos airbags.

 

Continuar a ler

Na Web

você pode gostar também

Comentários

Loading...