Julio Benck
Julio Benck
18 maio, 2017 - 04:52
carros japoneses

Os 5 melhores carros japoneses

Julio Benck

Conheça cinco dos melhores carros japoneses do Brasil e do mundo, suas características, vantagens e desvantagens de adquirir carros de origem nipônica

O artigo continua após o anúncio

Os carros japoneses são conhecidos mundialmente pela rapidez nas respostas, pouca exigência de manutenção e excelente custo benefício. Não é por acaso que o carro mais vendido do mundo vem de lá. O Toyota Corolla foi o primeiro carro da história a atingir a marca de mais de um milhão de unidades vendidas mundialmente.

Os melhores carros japoneses

Não é apenas o célebre sedã que pode ser apontado como um dos melhores modelos produzidos por montadoras japonesas. Felizmente, montadoras como Nissan, Honda, Mitsubishi e outras nos brindam com carros de muita qualidade. E não são apenas os tops de linha, carro japonês é bom desde as versões de entrada.

Sendo assim, uma lista com os melhores veículos da Terra do Sol Nascente não poderia começar com outro modelo que não fosse o recordista mundial.

Toyota Corolla

O Corolla já vendeu mais de 39 milhões de unidades desde que começou a ser fabricado, em 1966. Tal marca o torna destaque absoluto numa lista dos melhores carros japoneses.

O Corolla tem muitas qualidades, mas certamente a que mais chama a atenção é o seu baixo consumo de combustível. O sedã está na lista dos sedãs grandes mais econômicos do Brasil, ao lado de modelos japoneses como o Civic e o Subaru Forester.

Honda Civic

Atualmente na décima geração, o sedã (para alguns agora hatchback) produzido desde 1973 pela Honda tem uma legião fiel de fãs.  A partir da quinta geração é que o Civic ganhou a “cara” que tem hoje, embora o motor 1.3 só fosse abandonado a partir da sexta.

O Civic automático é um dos poucos modelos do mercado que contam com câmbio CVT de 7 marchas. Ao lado do Corolla, é um dos sedãs médios com menor depreciação, acumulando perda de 12,2% em um ano, segundo a agência Autoinforme.

Toyota Prius

É verdade que aqui no Brasil o Prius ainda é considerado um carro exótico. Nem tanto por ser um dos poucos híbridos do mercado, mas pelo seu design no mínimo sui generis.

O artigo continua após o anúncio

No entanto, uma análise despida de preconceitos deixa o híbrido da Toyota em uma posição muito boa.

São poucos os carros que podem ostentar o selo de “carro amigo da natureza”, como é o caso do Prius. É reconhecido até no exigente mercado norte americano como um veículo limpo e não agressivo ao meio ambiente. Seu motor movido a Gasolina e a eletricidade é também super econômico.

Afinal, nenhum outro sedã médio com 98 cv de potência faz 18,9 km/l de Gasolina na cidade. No quesito consumo, o Prius é o número um entre os melhores carros japoneses.

Honda HR-V

Campeão no quesito baixa depreciação, o esportivo utilitário da Honda é o número um em vendas na categoria. O HR-V supera os ótimos Jeep Compass e Jeep Renegade num segmento que vem registrando crescimento mundial.

Além de perder apenas 4,5% do valor de mercado após um ano, segundo a agência Autoinforme, o HR-V tem outras qualidades. No comparativo com seu concorrente mais direto, o Renegade 1.8, o HR-V vence com larga vantagem no tamanho do porta malas (437 contra míseros 260 litros) e na economia de combustível na estrada.

Honda Fit

Já que o assunto é carro mais vendido no segmento, é justo citar o monovolume mais vendido do Brasil. Embora haja quem o enquadre como hatch, a classificação em si não tira os méritos desse bom carro.

Um dos pontos altos do Honda Fit é a sua baixa depreciação. Assim como a maior parte dos melhores carros japoneses, perder pouco valor é uma de suas características. Depois de um ano, o Fit desvaloriza apenas 10,5%, segundo o Selo Maior Valor de Revenda da agência Autoinforme.

Carros japoneses: vantagens x desvantagens

Enumerar as vantagens dos carros japoneses não é difícil. Baixa depreciação, manutenção pouco exigente, pós venda que responde bem e durabilidade são as principais características.

O artigo continua após o anúncio

As desvantagens ficam por conta de fatores como o consumo de combustível elevado em modelos como o HR-V, principalmente o urbano, e do Honda Fit. Também pesa negativamente a elevada quantidade de recalls da Honda. Em 2016 só perdeu para a GM em número de chamadas em todo o mundo.

Em 2015, foram mais de 400 mil veículos chamados no Brasil. Ano passado, mais de 325 mil modelos tiveram que voltar às concessionárias por causa de falhas nos airbags.

 

Compartilhar Twittar Pin Email WhatsApp