4 carros baratos para comprar e caros para manter

Conheça quatro modelos de carros que poderiam muito bem apresentar excelente custo benefício, mas ficam devendo por serem potencialmente caros a longo prazo.

Avaliar um veículo em termos de custo benefício envolve mais do que o que se gasta na hora da compra. Depois que sai da concessionária, todo veículo, além de perder valor de mercado pela depreciação, também pode custar mais do que deveria.

Carros com seguro mais caro, por exemplo, podem custar caro por serem mais visados por criminosos. Outros modelos podem ter custos ocultos com manutenção. Com o tempo, vão surgindo dificuldades em encontrar peças, oficinas especializadas ou profissionais, tornando os reparos verdadeiras maratonas.

5 carros usados baratos e bons por até R$ 15 mil

Baratos que são caros

Para ajudar você a refletir sobre os carros que são baratos, mas que ao longo do tempo podem sair caros, destacamos 4 modelos. Seus preços até são atraentes, mas…

Renault Logan Authentique 1.0

Embora seja um carro barato e até econômico no consumo de combustível, o Logan Authentique sai caro em dois quesitos igualmente importantes, o valor do seguro e das revisões.

De fato, para um carro de entrada com motor 1.0, o seguro do Logan Authentique sai, na média, a valores bem acima do mercado, orçado em cerca de R$ 2.500. A título de comparação, o seu coirmão Sandero na versão com motor 1.0, tem seguro estimado em aproximadamente R$ 1.600.

E olha que no índice Susep de carros roubados, eles têm índices até bem parecidos de furtos e roubos. O Sandero apresenta IRV de 0,886, enquanto o Logan fica em 0,858.

Nas revisões, o Logan também se revela um carro caro. Com gastos totais estimados em mais de R$ 3.800 até 60 mil quilômetros. Tudo isso para um carro que custa R$ 40.410.

Chevrolet Onix Joy 1.0

A versão de entrada do carro mais vendido do Brasil padece do mesmo mal do Logan. Seguro e revisões caras fazem do Onix um carro barato de comprar, mas um dos mais caros de manter.

O valor médio do seguro para o compacto da GM fica também em torno de R$ 2.500, e as revisões até 60 mil km custam mais de R$ 3.000. Sei preço é R$ 41.690.

Tudo bem, o Onix também é um carro que bebe pouco. Mas, além dos custos já apontados, ele pode se tornar caro em outro quesito fundamental, a segurança. Isso porque os últimos testes de colisão da Latin NCAP praticamente condenaram o Onix na segurança para adultos.

Nissan Versa S 1.0

Já o Nissan Versa de entrada tem diversas qualidades que poderiam qualificá-lo como um carro barato e de excelente custo benefício. Se por um lado ele apresenta consumo baixo, registrando 15,3 km/l de Gasolina na estrada, é na relação preço/torque que o Versa se mostra um fiasco.

Seu valor de mercado pela tabela FIPE é de R$ 49.990. Já a relação peso/torque é de 105 kg/kgf.m. Significa que temos um carro com torque de 10 kgf.m, o mesmo do já avaliado Renault Logan, mas custando quase dez mil reais a mais.

Carros com relação preço/torque ruim, no longo prazo, são mais propensos a apresentar problemas. Isso porque forçam o motorista a exigir mais do motor. Pelo seu preço, portanto, trata-se de uma aquisição que pode sair muito cara.

Carros com a manutenção mais cara no Brasil

Fiat Argo Drive 1.0

Tudo bem, o Fiat Argo acaba de ser lançado, e pode ser cedo dizer que trata-se de um carro caro para manter. O problema do Argo está na sua clara relação ruim entre peso e potência.

Esta relação deve ser sempre considerada na compra de um carro, principalmente os de motor 1.0. Nessa categoria, qualquer diferença na relação peso/potência influencia diretamente no rendimento do veículo.

No caso do Argo, os números não são nada favoráveis. Com uma relação peso/potência de 14,35 kg/cv, ele é um dos piores entre os carros 1.0 à venda no Brasil nesse importante quesito. Seu preço segundo a tabela FIPE é de R$ 46.800.

Continuar a ler

Na Web

você pode gostar também

Comentários

Loading...